Coluna

LIVRE: CINQUENTA TONS DE LIBERDADE

Você é fã da franquia ‘Cinquenta Tons de Cinza’?

Quem se apaixonou pela história da jovem Anastasia Steele, em ‘Cinquenta Tons de Cinza’,  vai se maravilhar e comover com ‘Livre: Cinquenta Tons de Liberdade’, o romance pungente e despudoradamente erótico de Anastasia Steele e Christian Grey, contado por Christian.

Em ‘Cinquenta Tons de Liberdade’ Christian Grey e Anastasia Steele estão prestes a casar. Mas nem tudo corre como eles esperavam. O pai de Christian tem dúvidas quanto ao casamento; o irmão quer organizar uma grande festa de despedida de solteiro e a noiva não está disposta a obedecer. 

Embora a paixão do casal esteja mais quente e mais intensa do que nunca, o passado de Christian e o espírito desafiador de Anastasia continuam a despertar os medos mais sombrios do rapaz, colocando à prova sua necessidade de controle.

LIVRO CINQUENTA TONS DE LIBERDADE
Divulgação - 

Christian sempre soube que seu passado tornaria o relacionamento complicado, mas nem ele nem Ana tinham noção das dificuldades que enfrentariam para ficar juntos.

Anastasia cederá aos ímpetos dominadores do marido? Christian conseguirá superar a infância traumática e a juventude turbulenta?

Reviva em ‘Cinquenta Tons de Liberdade’ - a história de amor que cativou milhões de leitores em todo o mundo - a sensualidade, o romance e o drama de uma paixão avassaladora e carregada de erotismo a partir dos pensamentos, reflexões e sonhos de Christian Grey. 

Leia um  trecho exclusivo da publicação:

O casal está tomando sol em Monte Carlo quando Grey decide que precisa se refrescar dando um mergulho com a esposa. No entanto, as coisas acabam ficando mais quentes do que nunca. 

No meio da tarde, a temperatura é insuportável. Peço algumas bebidas para a garçonete do hotel, porque estou com sede. Ana acorda e volta sua atenção para mim. "Com sede?"

"Sim", ela responde, sonolenta.

Ela é adorável. "Eu poderia cuidar de você o dia todo. Cansada?"

À sombra do guarda-sol, seu rosto fica vermelho. "Eu não dormi muito na noite passada."

"Nem eu."

Lembro-me de uma visão da noite passada: Ana cavalgando forte em mim.

Meu corpo se agita.

Merd*.

Eu preciso me acalmar. Agora.

De pé, eu retiro rapidamente meu short jeans. "Venha nadar comigo." Eu estendo minha mão e Ana pisca, um pouco atordoada. "Vamos nadar?" Eu pergunto de novo. Quando ela não responde, eu a pego em meus braços. "Eu acho que você precisa acordar."

Ela grita e ri ao mesmo tempo. "Christian! Me coloca no chão!"

"Só no mar, baby." Rindo, eu a carrego através da areia quente infernal, grato por alcançar a costa mais fria e úmida. Ana envolve seus braços em volta do meu pescoço, seus olhos brilham com diversão enquanto eu caminho para o Mediterrâneo.

Isso a acordou. Ela está se agarrando a mim como um molusco. "Você não faria isso", diz ela, um pouco sem fôlego.

Eu não posso evitar meu sorriso. "Oh, Ana, baby, você não aprendeu nada no pouco tempo que nos conhecemos?" Inclinando-me, eu a beijo e ela agarra minha cabeça, seus dedos correm pelo meu cabelo.

Avidamente, ela me beija de volta com uma paixão que me pega de surpresa e me tira o fôlego.

Ana.

Estou grato por estar com água até a cintura.

"Eu conheço o seu jogo", murmuro contra seus lábios, e lentamente afundo no mar, beijando-a mais uma vez. A água fria, sua boca quente e úmida contra a minha, é excitante. Ela está enrolada em mim, quente e úmida, envolvendo-me em seus longos e adoráveis membros.

Isso é o céu.

Eu a consumo, nossa paixão crescendo enquanto minha mente se esvazia. Somos apenas Ana, minha linda garota, e eu. No mar.

Eu a quero.

Aqui. Agora.

"Eu achei que você queria nadar", ela sussurra, quando paramos para tomar ar.

"Você tira minha concentração". Eu puxo seu lábio inferior e o chupo. "E não tenho certeza se quero que o bom povo de Monte Carlo veja minha esposa no auge da paixão."

Ela roça meu queixo com os dentes.

Ela quer mais.

"Ana," advirto, torcendo seu rabo de cavalo em volta do meu pulso. Eu puxo suavemente para ter acesso à sua garganta. Ela tem gosto de água salgada, protetor solar de coco,suor e, o melhor de tudo, Ana. "Devo levá-lo ao mar?"

"Sim." Sua resposta é um sussurro que atiça minha libido.

Caralh*. É o suficiente.

Isso está ficando fora de controle.

"Sra. Grey, você é insaciável e tão descarada. Que tipo de monstro eu criei?"

"Um monstro feito para você. Você me aceitaria de outra maneira?"

"Vou levá-la de qualquer maneira que eu puder, você sabe disso. Mas não agora. Não com espectadores." Eu inclino minha cabeça para a costa.

Ana olha para os banhistas com um interesse intrusivo no que estamos fazendo.

Chega, Grey.

Agarrando-a pela cintura, eu a empurro no ar e ela cai dando um respingo satisfatório no mar. Quando ela surge à superfície, ela está rindo e gaguejando com indignação fingida. "Christian!", ela chora e patina a mão na superfície da água, espirrando em mim.

Eu jogo água nela de volta, sorrindo porque ela parece tão desapontada...

 

P.S.: O livro foi enviado pela editora.

Ediel Ribeiro (RJ)

662 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários