Coluna

BOLSONARO E SEU AMIGO IMAGINÁRIO

Rio de Janeiro - Se tem um órgão do Governo Federal que trabalha - e muito - é o Departamento de Recuos e Desmentidos (DRD).

Ligado à Secretaria de Comunicação - SECOM - o DRD funciona numa salinha nos fundos do Palácio do Planalto, sob o comando do secretário especial Fabio Wajngarten.

Todo mundo sabe que uma das funções mais importantes no governo, hoje em dia, é a de recuar e desmentir as histórias do capitão e de sua prole.

Se o presidente ficar adulterando fatos, desmentindo e fraudando todo tipo de informação, daqui a pouco ninguém mais vai acreditar nas suas declarações.

Não é segredo para ninguém que o presidente tem feito tudo o que pode para dar boas notícias a nação; mas as notícias das últimas semanas não são exatamente boas. Nem aqui nem lá fora.

ilustração nani
Arte - Nani

O presidente Jair Bolsonaro pegou o telefone e ligou para o secretário Fabio Wajngarten: 

- Fabinho, venha agora à minha sala. Traga lápis e papel, quero que anote as medidas que vamos tomar no tocante as eleições americanas.

O secretário de comunicação achou que tinha entendido mal.

- O que tem a eleição em Americana?

- Você é surdo ou não escuta? Eu disse eleição americana. Nos Estados Unidos. 

O secretário entrou na sala e sentou-se em frente ao presidente. 

- Precisamos fazer alguma coisa no tocante à eleição nos EUA. 
Estão roubando o meu amigo Trump. Vamos mandar o Exército para recontar os votos. 

- Presidente, a situação no Amapá está terrível. Os hospitais estão sem energia elétrica. As cidades estão apagadas e com dificuldades no abastecimento de água e alimentos, e o senhor está preocupado com a reeleição do Trump?

- Amapá é aquele Estado onde eles bebem guaraná de fresco?

- Não, presidente. Aquele é o Maranhão.

- Eu confundo tudo isso daí. Eu nunca tinha ido ao Nordeste. É tudo de cabeça chata. Manda um avião cheio de cloroquina para eles.

- Cloroquina, presidente? O problema deles é a falta de energia elétrica.

- Manda eletricistas, então. Esse pessoal fica enchendo o saco, eu cheio de problemas internacionais.

- Presidente, o Biden venceu em quase todos os estados americanos. Já está eleito, não há o que o senhor possa fazer.

- O Biden está vencendo com os votos dos Correios. Isso daí não existe, talkey? Os Correios não são confiáveis nem aqui. Por isso que eu já mandei vender tudo.

- Presidente, todos os grandes líderes mundiais já parabenizaram Joe Biden pela vitória. Só falta o senhor e o presidente do Cazaquistão. O Brasil está indo na contramão dos principais países do mundo.

- Ainda não contaram todas as urnas. Ouvi falar que faltam duas urnas de um colégio de Nevada.

- Presidente, Joe Biden já ultrapassou os 270 delegados necessários. Até o Rodrigo Maia já parabenizou o Biden.

- Esse Rodrigo Maia quer implantar o comunismo no Mundo. Eu não vou parabenizar esse presidente comunista. Ele não gosta de mim, nem do meu governo.

- Porque o senhor acha isso?

- Ele nem convidou o Eduardo para fritar hambúrguer na festa da posse.

Ediel Ribeiro (RJ)

296 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários