Coluna

OS ANJOS DA NOITE

São Paulo - Eu e a escritora Sheila Ferreira fomos até a cidade de São Paulo conhecer o trabalho do grupo “Anjos da Noite”. 

A matéria da crônica de hoje, fruto de uma pesquisa participativa - chegamos a virar voluntários do grupo e sair pela madrugada na capital paulista distribuindo alimento, água, agasalhos e cobertores a população de rua -, nasceu com o propósito de mostrar a realidade do morador de rua nas grandes cidades e a importância do trabalho desses verdadeiros anjos anônimos.

Nos encontramos - na estação do metrô da Vila Madalena - com a Gisele Maziero, que é voluntária e vai nos apresentar ao grupo. De lá, seguimos de carro para Itaquera, zona leste de São Paulo, onde fica a sede dos Anjos da Noite. 

É sábado. O trabalho do grupo começa ainda nas primeiras horas do dia. Os voluntários se reúnem na cozinha da sede onde começam os preparativos para a montagem das 800 quentinhas que serão distribuídas à noite. Cada quentinha contém arroz, feijão, frango, farofa e pão.

As quentinhas são acomodadas em caixas térmicas e embarcadas nas kombis dos Anjos. Além das quentinhas, os carros são carregados com garrafas de água, biscoitos, roupas, agasalhos e cobertores. 

ANJOS DA NOITE
Arquivo pessoal

Um enfermeiro voluntário acompanha o grupo para prestar atendimento ao morador de rua que necessitar. 

Antes de sair para as ruas, os voluntários se reúnem na sede para rezar, agradecer e pedir proteção para mais uma noite de solidariedade e amor ao próximo. 

Todos os sábados e em datas especiais, reúnem-se na sede dos Anjos da Noite, pessoas de todas as idades, de várias denominações religiosas que voluntariamente doam, além do seu tempo, alimentos, roupas, agasalhos, calçados, cobertores e principalmente amor. 

O Núcleo Assistencial Anjos da Noite é um grupo fundado por Kaká Ferreira e José Amato, que presta assistência aos moradores de rua da cidade de São Paulo, desde 22 de agosto de 1989. 

Os Anjos da Noite não são ligados a nenhum partido político e não recebem recursos públicos ou de partidos.

São laicos. Não pertencem a nenhuma ordem religiosa, ainda que façam o acolhimento de voluntários e atendidos em toda a sua diversidade religiosa. São bem-vindos no grupo todas as idades, gêneros, sexualidade, etnias e realidades sociais.

“Uma simples refeição, um agasalho e uma palavra amiga são os ferramentas fundamentais para possibilitar o resgate da autoestima objeivando a sua reintegração social.

A carência dos recursos materiais das pessoas em situação de rua não as tornam menos cidadãos. São eles que devem ter prioridade no senso de fraternidade que propicia momentos de reflexão sobre os valores da vida, hoje tão banalizada.

Portanto, ser um Anjo da Noite nada mais é do que agir na direção da solidariedade para a formação de um mundo mais justo e feliz, razão pela qual o Grupo Anjos da Noite vivência, entre outras, a seguinte premissa: “Todos os Problemas são Problemas de Todos”.

A ideia é resgatar a auto estima dessas pessoas. E você não resgata a auto estima só dando comida, você resgata a auto estima dando amor, carinho e uma oportunidade para eles se sentirem importantes, aceitos, acolhidos”, diz Kaká Ferreira, presidente do grupo.

O trabalho do grupo começa aproximadamente às 10 horas da noite. A distribuição começa no centro da cidade, nas ruas próximas ao Mercado Municipal  e a 25 de Março. 

Os voluntários caminham em grupos, procurando em ruas, praças e sob as marquises, os moradores de rua. Logo um grande grupo se aproxima dos carros dos Anjos da Noite. São homens, mulheres e crianças de todas as idades, vindas de várias regiões do país.

Todos são atendidos, mas os Anjos da Noite precisam de mais para que eles possam fazer mais pelos que necessitam de ajuda.

Ajude os Anjos da Noite!!!

Faça parte dessa causa. Você de qualquer parte do país pode doar pelo telefone (11) 2280-4587 ou anjos@anjosdanoite.org.br

Ediel Ribeiro (RJ)

259 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários