Coluna

O SALÃO DE HUMOR DE CARATINGA

Rio de Janeiro - Confesso, não tenho saco pra participar de salões de humor. 

Nem talento, acho. Os caras que participam são bons pra cacete.

Mas gosto da festa e de encontrar amigos. 

Participei durante 10 anos do Salão de Humor Ecológico da Ilha Grande, criado pelo cartunista Ferreth. Valia pela viagem, pela bebedeira e pela zona que fazíamos na Ilha do Abraão.

Em 2013, mandei uma tirinha para o Salão Internacional de Humor de Piracicaba. No último dia. Fui selecionado. Curti muito ter participado. Guardo até hoje o lindo catálogo do salão, com a tira dos meus personagens Patty & Fatty

salão de humor de caratinga
Arquivo pessoal

Nisso - e mais uma participaçãozinha no Salão de Juiz de Fora -, se resume a minha participação em salões de humor.

Contudo, sou fã dos salões de humor. Pela importância para o humor gráfico; Pela divulgação do desenho de humor e dos cartunistas e, principalmente, pela interação que acontece entre o artista e o fã do humor gráfico.

Um dos mais antigos, é o Salão Internacional de Humor de Caratinga, terra natal dos cartunista Ziraldo e Zélio. Criado em 1998, pelo cartunista Edra, o salão chegou a expressiva marca de 15 edições.

Ziraldo é fã do salão, que em 2004, na sua sexta edição, prestou uma homenagem ao cartunista. Transcrevo, Ziraldo: “Em Caratinga tem um menino chamado Edra, que faz lá um salão de humor internacional. Os humoristas todos vão lá, há muitos anos eles fazem esse salão. Os salões de humor estimulam o surgimento de novos profissionais e o de Caratinga tem uma grande importância nisso. Está com o maior prestígio no país”.

O salão foi criado em outubro de 1998, pelo cartunista Edra. Já na primeira edição, concorrendo ao “Troféu Ziraldo”, o evento contou com as participações de artistas consagrados nacionalmente como Ykenga, Érico Junqueira, Klévisson, Jorge Braga, Mariosan, além dos artistas da região: Jorge Inácio, Celim, Aragão, Walter, Rico e Betir.

Paralelo a mostra oficial, o Salão de Caratinga, teve exposições dos irmão caratinguenses Ziraldo e Zélio; e de artistas radicados em outros estados como Mayrink, Lane, Sylvio Abreu e do saudoso Vagn.

Recebi o lindo catálogo em homenagem aos 15 anos do Salão, contando toda a história do salão, da primeira à décima quinta edição. Nele, fiquei sabendo que a terceira edição do Salão, foi o primeiro a ter o cartaz produzido pelo Ziraldo e o “Troféu Henfil” para os vencedores.

Na quarta edição, foi instituído em definitivo o “Troféu Pererê”, em alusão ao personagem do folclore brasileiro eternizado nos quadrinhos do Ziraldo. O cartaz foi criado pelo cartunista mineiro Quinho, do jornal “Diário da Tarde”.

Na quinta edição, o salão alcançou prestígio mundial e passou a ser “Salão Internacional de Humor de Caratinga”. 

Parabéns ao Salão Internacional de Humor de Caratinga, ao Edra e a todos os cartunistas nacionais e internacionais que, ao contrário de mim, deixaram a preguiça de lado e participaram de todas as edições do prestigiado salão de Caratinga

Ediel Ribeiro (RJ)

257 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários