Coluna

O RICO HUMOR DE RICO

Rio de Janeiro - Cartunistas, eu sei, ‘brotam’ de todos os lugares do país. Mas, os melhores, vem de Minas. 

São de lá: Ziraldo, Zélio, Henfil, Nani, Borjalo, Caulos, Duayer, Mayrink, Duke, Afo, Celim, Vagn, Lute, Evandro Alves, Emil,  Guto Respi, Aragão, Aroeira, Cau Gomes, Mello, Lor, Mário Vale, Melado, Nilson, Benjamim, Thalma, Dum, Edra, Genin, Jorge Inácio, Mello, Nelson Cruz, Son Salvador, Quinho, Janey, Márcio Leite, Paulo Barbosa e a saudosa Carol Cospe Fogo, entre outros. 

Rico também veio de lá. 

Arquivo pessoal - 

Ou melhor, continua lá. Nascido no município de Manhuaçu, na região da Zona da Mata, em Minas Gerais, Rico tem o talento invulgar que honra a tradição mineira de produzir cartunistas, chargistas e artistas gráficos geniais. É um privilegiado por isso - não tenho provas, mas ainda acho que a formação humorística mineira é a melhor do Brasil, em que pesem os 'aécios neves' da vida. 

Valfrido Ricardo Martins, mais conhecido como Rico, veio para a cidade grande para ficar (com licença da redundância) rico, como o conterrâneo Ziraldo. Aliás, já era ‘Rico’ quando chegou lá. Bom, pelo menos era assim que assinava seus trabalhos, ainda em Manhuaçu.

Vindo de uma família pobre, enfrentou não só a falta de recursos, mas também a própria sociedade preconceituosa. A ilustração começou a fazer parte de sua vida ainda na fase adolescente, apesar da resistência de alguns. "Tinha muito preconceito na época sobre a profissão. Quando me viam desenhando, pensavam que eu seria vagabundo quando crescesse" - disse.

Rico é cartunista, chargista, ilustrador, autor de quadrinhos, e, nas horas vagas, se precisar, lava e passa pra fora. Começou a carreira aos 13 anos, fazendo charges para jornais de sua cidade natal. Em 1995 começou a publicar no jornal ‘Diário do Aço’, edição de Caratinga.

Ainda na adolescência, auxiliado pelo amigo e também cartunista Quinho, começou a publicar tiras em um jornal da cidade. As dicas do conterrâneo - já profissional e sete anos mais velho - aprimoraram o trabalho artístico de Rico. Cinco anos mais tarde - seguindo os conselhos do amigo - publicou seu primeiro desenho fora das 'Minas Gerais', no jornal ‘A Gazeta’, do Espírito Santo.

Ilustração: Nei Lima - 

Premiado no Brasil e em Portugal e com quase duas décadas dedicadas às ilustrações, o cartunista já assinou charge diária nos jornais ‘O Vale’, de São José dos Campos (SP); no ‘Jornal Coletivo’, de Brasília (DF); jornal ‘A Tribuna’, de Vitória (ES); ‘Jornal do Brasil’;  ‘O Estado de São Paulo’; ‘Pasquim 21’ e ‘Jornal da ABI’ (Associação Brasileira de Imprensa). E já teve trabalhos publicados nas revistas ‘Você S.A.’, ‘Mundo Estranho’, ‘Meu Próprio Negócio’, ‘Vencer’, ‘Recreio’, ‘Página 21’, ‘Bundas’, ‘Canal Um Brasil’, entre outras. 

Autor dos livros "O Rico humor de Rico" (1998),  "Só dói se eu rir" e "Onde foi que eu errei?" é também co-autor de "Isto é um absurdo" (2004). É, ainda, editor e autor da revista independente de histórias em quadrinhos “Bagaça!’’ 

O cartunista ilustra livros didáticos para as editoras ‘Moderna’, ‘Saraiva’, ‘Nova Geração’ e ‘Atual’ – e atende agências de publicidades de São Paulo, Brasília, Rio Grande do Sul, Belo Horizonte e Manhuaçu. Recentemente, ilustrou três livros de Reinaldo Polito pela Editora Saraiva, "Fale muito melhor", "Seja um ótimo orador" e "Assim é que se fala".

Há mais de 20 anos ilustra e licencia suas charges e tirinhas para livros didáticos de diversas editoras. Venceu, por dois anos consecutivos, o concurso ‘Moura BD & Cartoon’, em Portugal, e o ‘Salão Carioca de Humor’, do Rio de Janeiro, em 2005; recentemente, tornou-se um dos cartunistas colaboradores da revista em quadrinhos inglesa Goof! Comics.

Recentemente, Rico retomou um antigo projeto: o jornalzinho de humor “Uai,sô!”, que teve sua primeira edição em 1998,  chegando a publicar 17 edições, até meados de 2005 e está finalizando a segunda edição da revista de humor ‘Bagaça 2’.

“Como será lançada ‘devezemquandalmente’, vou dar uma caprichada pra se tornar um lance tipo ‘edição de colecionador’. As páginas de Spacca, Orlandeli, Jean, Alves, Gilmar, Carranza, Nunes, lanes, Schier e um texto do Paulo Ramos estão sensacionais!” - diz Rico.

O cartunista permanece em Minas Gerais, mas com o talento, o traço  e os ‘zóios’ voltados para o Brasil e o mundo.

Abração e sucesso procê, Rico! 

Ediel Ribeiro (RJ)

669 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários