Coluna

SAUDADES DA DITA-DURA

Bolsonaro: “Viagra, consolo, implante peniano… A caserna tá virando um sex-shop”.

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, foi chamado às pressas ao gabinete do presidente Jair Bolsonaro.

- O senhor me chamou, presidente?

- O que é isso daí, Heleno? Tá armado? - indagou o presidente ao notar o volume nas calças do general.

- Ãh?! Sim! Não!... É que, o senhor sabe, tá sobrando Viagra lá no quartel, então…

- O senhor não tem medo de morrer, general? Bom, pra quem já tomou Lexotan na veia, Viagra é pinto - ironizou o presidente.

- O senhor é ótimo, presidente! - riu, entre os dentes, o general.

- Eu sei… Bem, mas, foi por isso mesmo que eu chamei o senhor aqui. As Forças Armadas precisam maneirar nessa ‘cuestão’ daí das compras dos comprimidinhos azuis, taokey? Como se não bastasse aquele caso da compra do filé, da picanha e da cerveja, agora me vem mais isso daí de 35.320 comprimidos de Viagra, remédio pra calvice, prótese peniana. A caserna tá virando um sex-shop, Heleno!

Divulgação - 

- Mas, presidente, isso eleva a moral de membros da tropa. Tava todo mundo com a bandeira a meio-pau…

- Pois eu vos digo-lhes, não fica bem para um senhor na sua idade, andar por aí excitado. E depois, essa imprensa ‘marronzista’ de esquerda anda pegando no meu pé. O Brasil todo está rindo da nossa cara. Imagine um bando de oficiais provectos tendo de apelar para o Viagra a fim de bater continência.

- O senhor sabe como é, a tropa estava saudosa. Presos nos quarteis, há quantos anos eles não viam a dita-dura?? - tentou justificar o general.
- E daí se há milhares de oficiais, generais, almirantes e brigadeiros broxas? Em que isso interfere na pintura de postes, árvores e meio-fio? - ironizou o presidente.

- A tropa precisa ficar sempre alerta, né capitão? Com essa guerra na Ucrânia batendo à nossa porta, nunca se sabe se nós também não vamos ser convocados a intervir. Temos que estar preparados para tudo. E, como disse aquele seu amigo, o deputado ‘Mamãe Falei’, as mulheres ucranianas são fáceis.

- Capitão…

- Não me chame de capitão porque, nessa cuestão daí, fica parecendo que a minha patente é menor que a sua - riu.

- Presidente, a questão da impotência das tropas, é o de menos: o país está afundado em escândalos: são propina para pastores do MEC; kit robótica para escolas sem computador nem internet; ônibus superfaturados; ministros demitidos por suspeita de corrupção; rachadinha; vacinas super-faturadas; seus filhos defendendo a tortura, comprando mansões; viagem de vereador paga pela União, 35 mil viagras, milhões em próteses penianas, remédio para calvice e botox para o Exercito…

- PA-TI-FA-RIA! Isso tudo aí. Essa imprensa esquerdista está me perseguindo. Querem acabar com o meu governo!

- Para piorar, a imprensa, por meio da Lei de Acesso à Informação, pediu os dias e horários de entrada e saída no Palácio do Planalto dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, personagens do escândalo no MEC.

- Negue. Se nada for investigado, não tem corrupção. Assim como o acesso a minha carteira de vacinação, decretarei 100 anos de sigilo, nessa cuestão daí.

- O senhor é um gênio, presidente!

- Conhecereis a verdade, taokey. Mas só daqui a 100 anos.

Ediel Ribeiro (RJ)

661 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários