Coluna

Feliz 2022

Estamos em dezembro de 2021, muitas pessoas estão preparando como será seu fim de ano. Alguns irão viajar, outros passarão com a família e amigos as festas principais: Natal e virada de Ano Novo. Infelizmente para mais de 600 mil famílias não haverá comemorações, perderam pessoas queridas para a COVID-19. Também para cerca de 14% da população que se encontram desempregadas ou no denominado subemprego não há muito o que comemorar nesse restante de ano. Planos para o próximo estão sendo realizados. 

Agora no xadrez político, 2022 já começou faz tempo. Os partidos fazem as contas para terem maiores possibilidades de eleger um número superior de candidatos aos pleitos que acontecem no próximo ano. Neste artigo iremos analisar 4 possíveis candidatos e suas posições para o ano eleitoral. Suas forças e fraquezas na corrida à presidência no ano vindouro. Muitos desejam o fortalecimento de uma terceira via, mas o que tudo indica essa denominada terceira via é continuação da que está em ação no momento. Pode haver mais de quatro concorrentes ao pleito em 2022, mas com certeza esses serão os principais. 

Ciro Ferreira Gomes, filiado ao PDT – Partido democrático Trabalhista. Suas qualidades: tem experiência como governante, ou seja, não é um denominado aventureiro. Foi governador do Ceará e prefeito de Fortaleza, atuou como ministro em diversos governos: da Fazenda durante o governo de Itamar Franco e da Integração Nacional em pleno governo de Luís Inácio da Silva. Conhece o poder Legislativo por ter sido deputado Estadual e Federal representando o Estado do Ceará. Tem profundo conhecimento dos problemas sociais, econômicos e político do país. 

Suas fraquezas: seus discursos não alcançam o eleitorado médio do Brasil, mas principalmente os universitários e pessoas com maior graduação. Também é conhecido por suas ações emocionais que são usadas como descontroladas. O partido que representa está com dificuldades internas para manter a pauta trabalhista devido alguns de seus integrantes votarem em pautas desaforáveis aos seus representados. 

Jair Messias Bolsonaro, sem filiação até o momento, vai tentar a reeleição ao cargo máximo do Executivo Nacional. Suas qualidades: tem um discurso que atende ao eleitor médio, tem carisma, como irá disputar estando no governo tem a máquina em suas mãos, mantém pelo menos cerca de 30% do eleitorado fixo com seu programa de governo. Conhece o poder Legislativo por ter sido vereador e deputado federal representando o estado do Rio de Janeiro. Suas fraquezas: considerado destemperado emocionalmente, conhecido por muitos como o pior presidente do país, tem enfrentado quedas constantes nas pesquisas de opinião com relação ao seu governo, não apresentou um plano concreto para a economia do país e, por isso o desemprego e inflação estão em alta o que afeta a escolha do eleitor. Entre o que prometeu e o que fez na presidência deixou lacunas, após eleito afastou do partido político que o elegeu. Não será mais o concorrente escolhido pelo “mercado”.

Luís Inácio Lula da Silva mais conhecido como Lula, filiado ao PT- Partido dos Trabalhadores. Suas qualidades: é pai do PT e da maior central sindical da América Latina, seus discursos atendem ao eleitor médio e pobre, foi presidente por dois mandatos consecutivos, criou diversos programas sociais e políticas públicas inclusivas. Conhecido internacionalmente e, com trânsito com diversos governos estrangeiros. Mantém cerca de 30% do eleitorado fixo com seus programas de governo. Foi deputado Federal. Tem carisma. Deixou o governo com 83% de aprovação e elegeu sua sucessora. Suas fraquezas: em seu governo houve acusações de corrupção e tem o denominado Mensalão – valores pagos a deputados para votarem segundo interesses do governo – como imagem viva de seu julgamento na memória popular. Foi condenado por corrupção em um processo confuso, mas que alterou para pior sua imagem junto ao eleitorado, não é o concorrente escolhido pelo “mercado”, terá de enfrentar o juiz que o condenou no pleito de 2022. Seu plano de governo não atende os interesses da denominada elite econômica nacional. O impecheament de sua sucessora pode interferir em sua imagem política. O tema corrupção pode afetar sua imagem nos debates que irão ocorrer durante o período eleitoral. Terá dificuldades para atrair partidos políticos do centro para sua aliança. 

Sérgio Fernando Moro, filiado ao PODEMOS. Qualidades: foi juiz da denominada operação Lava Jato de combate a corrupção por isso o tema será de relevância em seu discurso. Tem imagem de herói para boa parte da elite nacional e, é o candidato do denominado “mercado” já que este deseja afastar de Jair Messias Bolsonaro e precisa de uma outra via. Suas fraquezas: desconhece os problemas sociais do povo brasileiro, seu discurso ainda não alcança o eleitorado médio, seu plano de governo afeta negativamente as chamadas minorias – principalmente os planos de segurança pública. É o postulante do denominado “mercado”. Falta experiência política. Até o momento tem pouca aceitação do eleitor nas pesquisas realizadas. Seus julgamentos durante o processo da chamada operação Lava Jato foram descritos pela imprensa como sendo um pacto entre o judiciário e Ministério público o que levou a serem anulados pela Suprema Corte. Terá dificuldades para atrair partidos políticos da esquerda para sua aliança e será cobrado por estes para revelar as provas para a prisão de Luís Inácio da Silva durante as eleições de 2018.

Nas eleições de 2022 os principais temas a serem debatidos serão a fome, inclusão social e combate a corrupção. O xadrez político está sendo montado e as alianças também. Feliz Natal e Ano Novo.

Jurutan Alves

17 Posts

Dialogus

Jurutan Alves contagense. Mestre em Ciências Sociais, Cientista Político, especialista em Marketing Político, fotógrafo e docente, autor do livro Os Reis: fotografias negras. Pesquisa sobre a qualidade da democracia e o sistema educacional no país.

Comentários