24,Jan
Política

PSL e PT terão o maior tempo de rádio e tv e o maior volume de recursos do Fundo Eleitoral para campanha

Foi aprovado na Comissão Mista de Orçamento do Congresso um aumento de 120% no Fundo Eleitoral para as campanhas eleitorais do próximo ano, em relação ao valor destinado nas eleições de 2018. O montante, que nas últimas eleições foi de R$ 1,7 bilhão, passa agora para R$ 3,8 bilhões. Falta apenas ser confirmado pelo plenário do Congresso.

A maioria dos partidos – 13 das maiores bancadas – são favoráveis ao aumento do Fundo Eleitoral, dinheiro que vai abastecer os partidos na disputa para eleger prefeitos e vereadores. 

camara dos deputados
Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional (Marcos Oliveira/Agência Senado)

PSL e PT sozinhos devem ficar com mais de R$730 milhões o que irá assegura-los a melhor estrutura de campanha em todo país, devendo confirmar as duas siglas como as maiores em número também de prefeitos e vereadores. 

Na eleição passada, o PSL ainda nanico e com apenas R$ 9,2 milhões, elegeu além do Presidente da República, Jair Bolsonaro, 52 deputados federais e 4 senadores. Agora, o partido terá um valor 37 vezes maior para investir nas eleições municipais. Em Minas Gerais a direção estadual do partido garante que irão fazer o maior número de representantes no estado e que os recursos para a campanha serão muito bem distribuídos e administrados. 

Além de ter o maior recurso financeiro para as campanhas, PSL e PT terão também o maior tempo de rádio e televisão. 

Os demais partidos também terão participação no Fundo Eleitoral, porém, infinitamente menor. MDB que sempre foi privilegiado por ter as maiores bancadas, agora vai disputar as eleições entre os menores. Alguns partidos nanicos praticamente não terão participação nesse fundo, e também sem tempo de rádio e televisão, deverão se encolher ainda mais, deixando a disputa polarizada entre PSL e PT nos municípios.

Comentários