Coluna

DANIEL AZULAY, SAUDADES

Rio de Janeiro - Hipnotizado pelo  indiozinho da Tupi, o menino Daniel ficava parado em frente à tela em preto e branco, esperando a programação da tarde da TV começar.

"Disneylândia"; “Clube do Titio”; Capitão Aza”; “Teatrinho Trol”; “Gladys e seus bichinhos” eram os programas preferidos do menino Daniel e de seu irmão mais velho, Jom Tob Azulay.

Filho do jurista e advogado Fortunato Azulay e de Clara Israel, Daniel Azulay nasceu em 30 de maio de 1947, no Rio de Janeiro, numa família judaica sefardita. 

Azulay foi um desenhista autodidata formado em Direito pela Universidade Cândido Mendes, em 1969. Foi ainda pintor, músico, escritor, ilustrador de livros infantis, apresentador de TV e educador, dedicando grande parte de sua carreira a desenvolver arte e educação para crianças e jovens.

Ainda jovem, aos 21 anos, decidiu abraçar a carreira de cartunista. Na mesma época, começou a publicar suas primeiras histórias em quadrinhos e cartuns em revistas e jornais. Trabalhou em publicações como “O Sol”, “Pasquim”, “Jornal do Brasil”, “Jornal dos Sports” e “Correio da Manhã”. 

DANIEL AZULAY
REPRODUÇÃO / FACEBOOK - 

Embora já fosse ilustrador desde o início da carreira, foi na pintura contemporânea que Azulay tornou-se internacionalmente conhecido. Sua pintura de linhas arrojadas, cores quentes e forte identidade brasileira, desde o início denotava um estílo único e admirável que chegava a surpreender aqueles que, inicialmente, só conheciam seu lado de ilustrador e cartunista.

Daniel Azulay ficou conhecido no Brasil pela criação do clássico "Turma do Lambe-Lambe", um grupo de personagens que protagonizaram programas de TV e quadrinhos para o público infantil. Criada em 1975, os personagens estrelaram um programa de televisão por 15 anos na TVE e na Bandeirantes, apresentado pelo artista.

Nos anos 1980, Azulay também ensinou o público da TV a fazer brinquedos de sucata, esculturas de bexiga e a brincar e desenhar usando a imaginação com jogos de raciocínio.

Em 1996, na Band-Rio criou o programa "Oficina de Desenho Daniel Azulay". Entre 2003 e 2005, apresentou a "Turma do Lambe-Lambe", no canal fechado TV Rá-Tim-Bum, e "Azuela do Azulay" no Canal Futura, que contava com participações dos personagens.

A turma também ganhou sua própria série em quadrinhos pela editora Abril entre 1982 e 1984. Em 2018, foi homenageado como grande-mestre pelo Troféu HQ Mix, principal premiação da mídia no Brasil.

Publicou o livro "Viagem a Jerusalém", viajou aos Estados Unidos, onde conheceu os estúdios da Disney na Flórida e na Califórnia e o quadrinista Bob Kane, co-criador do Batman, que o apresentou à revista Crazy em Nova York.

Viajava pelo mundo expondo, fazendo palestras e conduzindo workshops de arte, educação e responsabilidade social. Premiado no Brasil e no exterior, suas obras já foram exibidas no Museu do Louvre, em Paris, e fazem parte do acervo de coleções particulares e de grandes empresas.

Daniel morreu em 27 de março de 2020, após ficar internado por duas semanas na Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul carioca, em tratamento contra a leucemia. Contraiu o coronavírus em ambiente hospitalar e desenvolveu quadro de COVID-19 cujas complicações foram fatais.

Ediel Ribeiro (RJ)

662 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários