Coluna

O AMOR NÃO É SÓ UMA PALAVRINHA. É UM PALAVRÃO.

Rio - Certa vez, comentando a obra de Rubem Braga, o escritor Paulo Mendes Campos disse que ao ler a obra do amigo descobriu que a crônica era “o espaço livre do cronista, que o usava para escrever poemas em prosa, poesias, contar histórias, fantasias e fazer ensaios”. 

Como Rubem Braga, aproveito esse espaço para mais uma vez escrever sobre meu livro de poesias “Amor não é só uma Palavrinha. É um Palavrão”.  

O livro será lançado ainda esse ano pela Dreams Editorial, publico aqui - a guisa de crônica - mais dois poemas do livro: 
 

PORTÕES
O cão fareja poesia
Onde só havia dor

Solidão, e caos. 

A mulher e seus gatos
Bebem vinho e leite
Enquanto discutem a obra de Kant

Juntei as migalhas da mesa
Restos de pão e ternura
Peguei o vinho e fomos pra cama. 

Entre as pernas dela cresceu minha poesia
Abro seus portões e o ranger dos trincos
São seus gemidos de gozo

Dormimos


O GATO E A GOTA
A gota que pinga
Mata a sede do gato,
Que dorme. 

Os versos da canção da
Buffalo White são tristes,
Como meus olhos. 

A gota salva o gato,
O gato poupa o rato,
Há amor entre eles.

Entre o gato e a gota,
Fico com a gota,
Estéril e fria. 

Diferente do amor
Vagamente lúdico 
Do gato.

Ediel Ribeiro (RJ)

295 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários