Coluna

O LADO NEGRO DAS CELEBRIDADES

Divulgação

Rio de Janeiro - Todos nós temos nosso lado “m” - de, vá lá, malvado -, os artistas, também.

Muitas celebridades tem uma história, por assim dizer, nada lírica. Histórias que tornam artistas menos Deus e mais humanos - e nada admiráveis - mas, nem por isso menos talentosos.

Muitos artistas, durante a vida, cometeram graves deslizes e apresentaram falha de caráter, mas nem por isso deixaram de ser querido e admirado por seus fãs. 

Com certeza, talento não é uma questão de caráter.

O filósofo Allan Janik explica. “A boa arte requer talento, sensibilidade e inteligência. Nada disso tem a ver com caráter”, diz. “O talento faz os artistas parecerem sobre-humanos para nós, e nossa decepção é imensa quando eles mostram suas falhas. Vivemos numa sociedade em que não há grandes heróis, santos ou imperadores. Mas continuamos precisamos admirar alguém, e os artistas cumprem esse papel”. 

Por isso sua obra ficará menor? Seu talento será questionado? Provavelmente, não. As obras têm vida independente de seus autores, por mais que tenhamos dificuldade para aceitar isso. 

Artistas geniais já tiveram suas vidas e carreiras envolvidas em escândalos e casos rumorosos, de que certamente não se orgulham.

No caso mais recente, o admirado e consagrado diretor Woody Allen foi acusado pela filha adotiva, Dylan Farrow, de ter abusado sexualmente dela aos 7 anos, no sótão da casa onde moravam. 

O famoso compositor Carlos Gesualdo (1560-1613), famoso por seus madrigais, causou escândalo ao assassinar sua mulher e o amante dela.

O poeta chileno Pablo Neruda (1904-1973), abandonou a filha porque tinha hidrocefalia.

Coco Chanel (1883-1971), uma das maiores estilistas da história, fundadora de uma grife milionária, colaborou com os nazistas na ocupação da França, na Segunda Guerra Mundial.

Thomas Jefferson (1743-1826), terceiro presidente americano tinha centena de escravos. Suspeita-se que ele tenha tido um filho com uma delas.

Richard Wagner (1813-1883), compositor e regente que teve uma enorme influência na música do século XX, foi bastante criticado por seus textos anti semitas.

O filósofo Martin Heidegger (1889-1976), autor de “Ser e Tempo”, uma das principais obras filosóficas do século XX, era filiado ao partido  nazista.

O cineasta Roman Polanski (1933), diretor de “O Bebê de Rosemary”, entre outros grandes sucessos do cinema, confessou ter feito sexo com uma garota de 13 anos.

Casos como estes, mancharam a biografia e a imagem destes grandes artistas; mas não tiraram deles o talento e a genialidade.

Ediel Ribeiro (RJ)

662 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários