Coluna

SONHOS SÃO AZUIS

Um roteiro de Ediel Ribeiro e Sheila Ferreira, baseado no livro “Sonhos são Azuis”.

SONHOS SÃO AZUIS
Divulgação

Rio de Janeiro - Quando resolvemos escrever um roteiro baseado em nosso livro “Sonhos são Azuis”, muita gente aprovou a ideia e deu força ao projeto. Aproveitamos o isolamento para tocar o trabalho. Vou mostrar para você, leitor, um pouco do que já escrevemos.          

Sonhos são Azuis
Um roteiro de Ediel Ribeiro e Sheila Ferreira, baseado no livro “Sonhos são Azuis”.

Um escritor brilhante e sedutor. Uma mulher carente e apaixonada.  Um crime brutal. Uma história de sexo, amor, crime e paixão. 

STORY LINE: Erick Connick é um escritor brilhante, sedutor e cafajeste. Lara Swank é uma fã carente e apaixonada. Suas vidas se misturam quando, durante uma viagem, Lara conhece e se apaixona por Erick. E ele por ela.

ARGUMENTO/SINOPSE: Erick Connick é um escritor brilhante, viciado em álcool e mulheres, que vive solitário em seu apartamento. Sua carreira só não é um fracasso retumbante graças a sua agente literária, Margareth Mills. Meg é apaixonada por Erick e cuida de sua vida pessoal e profissional. A vida de Erick começa a sofrer uma reviravolta quando ele conhece Lara Swank, uma fã apaixonada por ele e seus livros. Depois de um encontro em seu apartamento, repentinamente, Lara desaparece, deixando Erick furioso e ao mesmo tempo apaixonado por aquela mulher misteriosa que só vira uma vez. Ele resolve então, sair de sua rotina e embarca em uma emocionante busca de sonho e liberdade que o levará em uma jornada a lugares místicos e ao interior de seu próprio coração.

BLACKOUT (em backgraund)
Ouve-se as batidas de uma máquina de escrever. Em fade out a imagem das mãos de uma pessoa batendo à máquina emerge da tela escura. Os créditos de abertura são escritos na folha em branco. A música é “Silence” de Beethoven.

DISSOLVE
CORTA PARA

INT. APARTAMENTO DE ERICK - NOITE
Erick está no banheiro do seu apartamento. Tem mais ou menos 50 anos - um corpo definido, o rosto corado e a barba por fazer. É inteligente e tem uma expressão bondosa e cafajeste. Ele está deitado numa banheira cheia de espumas e está bebendo uma taça de vinho. Ao lado da banheira, uma garrafa de vinho quase vazia. Erick levanta, pega uma toalha, se enxuga e se enrola nela.

ERICK (irritado diante do espelho)
— Que merda! Tem uma mulher nua na minha cama e, pior, não sei quem é nem sei seu nome. Isso, aposto, foi um grande erro. 

Erick abre a porta e, em background, a voz rouca e gutural de Leonard Cohen, vinda do rádio, invade a cena. A música é “Because Of”.

CORTA PARA:
QUARTO DE ERICK - NOITE
A câmera segue seu olhar e revela uma mulher nua, deitada na cama. Ela é loura, atraente, 40 anos, aproximadamente. Erick entra no quadro e se aproxima da cama. Ela acorda.

A MULHER
— Me bate!

ERICk
— Quer que bata em você?

A MULHER (mordendo os lábios)
— É, na minha bunda, nas coxas, nas pernas. Pra machucar, pra valer. Adoro sentir dor. Promete que vai me bater! - implorou.

ERICK
— Tá, vou bater em você!

Erick bate na bunda dela várias vezes, deixando as marcas de seus dedos em seu traseiro branco, em seguida puxa a mulher pelos cabelos e bate em seu rosto.

MULHER
— Quero você…

Depois de alguns segundos, Erick se afasta, pega suas roupas e pede que ela vá embora.

A MULHER (nervosa)
— E a minha grana?

Eric bota uma nota em seu decote e bate a porta.

CORTA PARA
INT. BANHEIRO. APARTAMENTO DE ERICK - DIA
O banheiro é branco e está em desordem. Há roupas jogadas no chão. Erick está no chuveiro. A água quente cai sobre suas costas. Sua respiração lança jatos de vapor no ar frio. Erick sai do box, enfia a mão no bolso do roupão jogado no chão, tira um bilhete amassado e sujo de sangue e lê.

EM BACKGROUND, OUVE-SE A VOZ DE LARA

LARA
Erick, meu amor. Estou indo embora. Saindo da sua vida. Eu te amei mais do que tudo em minha vida. Por você, deixei meu marido e a vida tranquila que levava. Não me arrependo de nada. Serei sempre seu bebê. Mas não posso dividi-lo com outras. Beijos, da sempre sua, Lara.

CLOSE-UP NO ROSTO DE ERICK 
Ele está visivelmente emocionado. Uma lágrima furtiva corre pelo seu rosto. Aquilo era estranho para ele. O comportamento indiferente e evasivo eram idiossincrasias daquele sujeito rude. Em background, ouve-se o telefone tocar.

CORTA PARA
INT. SALA APTO. - DIA
Erick atende o telefone.

ERICK
— Erick.
(pausa)
— Pode deixar, Meg. Sei que é hoje o lançamento do livro. Estarei lá. Obrigado por se preocupar.

CORTA PARA
EXT. CIDADE - DIA
Uma mulher dirige seu carro pelas ruas da cidade. É Lara Swank. 40 anos. Analista de Sistemas. Loura, bonita e muito atraente. No rádio do carro, uma voz feminina faz a previsão do tempo.

LOCUTORA
— A quarta feira será de sol com algumas nuvens. A temperatura
mínima deve ficar em torno de 13 graus na grande São Paulo. E agora, continuamos com a Royal Philharmonic Orchestra, e as suítes de “O Quebra-Nozes” e o “Lago dos Cisnes”, de Tchaikovsky...  

CORTA PARA
INT. EMPRESA DE LARA - DIA
Lara está sentada em sua mesa, arrumando suas coisas. Ela tem uma viagem de trabalho marcada para o Rio de Janeiro. Ana, uma colega de trabalho se aproxima com um livro nas mãos e entrega a Lara.

ANA
— É do escritor Erick Connick. Ele vai estar lançando seu novo romance este final de semana no Rio. Sou fã dele, você precisa ir ao lançamento e trazer o autógrafo dele pra mim. Por favor, amiga!

CLOSE-UP NO LIVRO
Lara lê a orelha do livro e se impressiona com a foto do autor. 

LARA
— Também sou fã do Erick. Já li outros livros dele. Tá, pode deixar. Trago, sim. 

Ana dá um longo abraço na amiga e se despede.

ANA
— Te devo uma.

CORTA PARA
FLASH-BACK. INT. LIVRARIA. NOITE
A livraria é grande. Ao fundo há um bar. Há várias pessoas espalhadas. Em grupos, elas bebem e conversam baixo. Erick, sentado no bar, bebe vodca. Nesse momento, uma mulher loura - tem aproximadamente 40 anos, é inteligente e tem uma expressão tranquila - bonita e atraente, com um vestido preto colado ao corpo, senta-se ao seu lado. Usa uma maquiagem discreta e tem um cheiro bom. Ela conversa com um tipo meio afeminado. Riem muito. Ela bebe uma bebida roxa. Parece vinho. Tem nas mãos um livro. O olhar dos dois se cruzam por alguns instantes.

INT. LIVRARIA. BAR. NOITE
Margareth Mills desliza pela escada e se aproxima do bar. Meg é agente literária do Erick. Inteligente, 35 anos, bastante atraente, alta, branca, cabelos pretos, olhos verdes e sorriso cativante.

MARGARETH (sussurrando no ouvido do Erick)
— Está na hora.

Erick pega uma garrafa de vinho, uma taça e segue a Meg.

CORTA PARA
INT. LIVRARIA. MESA. NOITE
A câmera enquadra Erick, que está sentado numa grande mesa, no fundo da livraria. Em sua frente, uma pilha de livros. Uma enorme fila se formou. Erick autografa o livro de um homem jovem, baixo e frágil. Ao lado dele, uma mulher que de algum modo é mais velha e sombria. Atrás deles, a loura do bar. Bebera, evidentemente, um bocado de vinho. Tinha o rosto avermelhado e os cabelos em desalinho, caídos sobre os olhos. Ela estende o livro.

ERICK
— Para quem?

A LOURA
— Me chamo Lara. Sou fã dos seus livros.

CLOSE-UP
A câmera enquadra o livro, onde o escritor escreve: “Para Lara, a mulher mais linda da cidade, com todo o meu carinho…”  Lara sorri e se vira.

ERICK 
— O outro? 

LARA
— Como?

ERICK
— O outro livro. Não quer que autografe?

A mulher estende o outro livro que trazia nas mãos.

LARA (desconcertada)
— Desculpa. Para Ana, por favor.

CORTA PARA
INT. BAR - NOITE
Depois de autografar os livros, Erick se aproxima do bar - onde Lara, absorta, lê um livro - com duas taças nas mãos. Eles bebem e conversam sobre arte, literatura e poesia.

ERICK
— Acho que fiz um bom trabalho nele. O que você achou?

LARA
— Achei esplêndido. Li poucas páginas, mas dá para ver que será um sucesso.

ERICK
— Bem, fico aliviado. Obrigado.

LARA
— Você deve estar muito orgulhoso.

ERICK
— Eu nunca sei o que dizer nessas horas.

LARA 
— Diga apenas que está feliz. 

ERICK
— Hã-hã. O que acha de sairmos para beber em algum lugar mais sossegado?

Ela sorri. Pequena pausa.

LARA (tomando mais um alentado gole de vinho)
— Mas não me deixe beber demais que fico muito assanhada.

CORTA PARA
EXTERIOR. LIVRARIA - NOITE
Uma tomada ampla da rua. Erick caminha ao lado de Lara. Se vê uma chuva fina caindo de um céu de chumbo. Som de buzinas e sirenes tomam a cena.

CORTA PARA
INT. APARTAMENTO DE ERICK - NOITE
O apartamento é clean. Tem uma decoração minimalista. A sala é banhada por uma luz suave e alaranjada. Num canto, numa mesa, em frente a janela, uma velha máquina de escrever destoa do resto da mobília. Erick retira de uma adega climatizada uma garrafa de vinho e duas taças. Eles bebem. No rádio, Loreena McKennitt canta uma canção romântica e triste. Eles se beijam. 

CORTA PARA
INT. QUARTO DE ERICK - NOITE
Lara se atira na cama e Erick volta a sala para pegar as bebidas. Quando ele volta ao quarto, Lara está dormindo. Erick apoia as taças no criado-mudo e, delicadamente, tira seu vestido molhado. Lara está sem calcinha. Erick admira por alguns segundos o corpo branco e sensual da mulher. Mil ideias passam pela sua cabeça, mas ele desiste. Cobre o corpo dela com um lençol fino e volta para a sala.  

CORTA PARA
INT. QUARTO DO APARTAMENTO DE ERICK - DIA
Lara se vira na cama e acorda. Estende o braço preguiçosamente, apanha o despertador e olha a hora. 

LARA
— Que merda!

Lara levanta e pega o vestido ao lado da cama. Veste, desajeitadamente. Inclina-se para calçar os sapatos. É visível que ela está constrangida.

LARA (num murmúrio alto)
— Merda. Certo - preciso ir.

O telefone dela toca. Ela atende rápido e desliga. A câmera acompanha Lara até a sala. Erick está deitado de bruços no sofá, nu. Lara para por alguns segundo, admirando o corpo do homem. Abre porta, mansamente e sai. A câmera acompanha a mulher pelo corredor até a escada.

CORTA PARA
INT. SALA DO APARTAMENTO DE ERICK - DIA 
A luz do dia entra na sala. Erick está sentado no sofá. Boca aberta. Ele boceja. Passa as mãos nos cabelos e levanta. Vai até a cozinha, prepara dois cafés e vai até o quarto. Ele procura Lara, mas ela não está mais na cama - ele, evidentemente, está decepcionado. O quarto tem um absurdo cheiro feminino. Isso, e um relógio esquecido no criado-mudo, são as únicas coisas estranha naquele lugar.

CORTA PARA 
INT. SALA DO APARTAMENTO DE ERICK - DIA
Erick senta numa enorme poltrona preta e lê o jornal, bebendo seu café. Rhapsody in Blue, de George Gershwin, toca no rádio.

DISOLVE

CORTA PARA
EXT. RUA - DIA
Lara acena e grita para um táxi. Ela tem uma reunião importante e está atrasada. Por sorte, o hotel é próximo dali. O táxi para e ela embarca. 

LARA
— Avenida Atlântica. Hotel Pestana, por favor.

CORTA PARA
INT. HOTEL - DIA
Lara encontra com o amigo no saguão e os dois correm para o elevador.

DISOLVE
A câmera mostra os dois sentados no bar do hotel, após a reunião.

O AMIGO
— Louca, não faça mais isso. Quase perdemos a reunião. Seríamos demitidos. Por onde você andou?

LARA
— É uma longa história.

O AMIGO
— Eu tenho tempo. 
Os dois sorriem, Lara pede mais um drinque e passa a contar o que aconteceu…

CORTA PARA
INT. APARTAMENTO DE LARA E PEDRO - NOITE
Lara e Pedro estão jantando. Eles conversam sobre a viagem de Lara. Pedro não parece muito interessado. Apenas ouve a mulher. 

PEDRO
— Fez uma boa viagem?

LARA
— Sim. Ótima. O Rio é lindo. A noite fomos, eu e o Sandro, ao lançamento do livro de um escritor famoso. Erick Connick, já ouviu falar?

PEDRO
— Não. Você sabe que não gosto muito de ler. 

LARA
— Vou ter que voltar ao Rio. Você poderia ir comigo. 

PEDRO
— Talvez.

CORTA PARA
INT. QUARTO DO CASAL - NOITE
Pedro já está na cama, vendo um filme.  Lara entra no quarto. Está linda e sensual. Perfumada, cabelos escovados e uma lingerie preta e curta. Pedro não nota. Ela deita na cama e se acomoda embaixo do edredom, se aproximando de Pedro. Lara passa a mão no peito dele e o beija. Ele retribui o beijo, deita-se sobre ela e eles transam. É uma transa rápida. Logo ele se vira e dorme. Lara fica olhando para o teto, insatisfeita. 

CORTA PARA
EXT. PARQUE IBIRAPUERA - DIA.
Lara corre. Veste roupas de corrida e está bastante suada.
 
INT. BANHEIRO DO APARTAMENTO DE LARA - DIA.
Lara tira o tênis e as roupas suadas. Num canto, sobre uma pilha de revistas, o livro de Erick. Lara pega o livro e por alguns segundos fica observando a foto do escritor. Entra no box, abre a torneira e deixa a água morna massagear seu corpo. Enquanto a água cai, ela toca os seios. Morde os lábios, geme, e desce uma das mãos até a vagina. Isso deixa ela louca e ela goza.

INT. BAR — MAIS TARDE
Erick está no bar, bebendo e olhando divertido para dois homens que jogam dardos num alvo preso à parede. Em background, de vez em quando, ouve-se gritos e palavrões quando um dos homens erra o alvo. “Merda”...

Ediel Ribeiro (RJ)

662 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários