Coluna

RENDA-SE BRASIL

charge pastores
Arte - Nani

Rio de Janeiro - Se tem um órgão do Governo Federal que trabalha - e muito - é o Departamento de Recuos e Desmentidos (DRD).

Ligado à Secretaria de Comunicação - SECOM - o DRD funciona numa salinha nos fundos do Palácio do Planalto, sob o comando do secretário especial Fabio Wajngarten.

Todo mundo sabe que uma das funções mais importantes no governo, hoje em dia, é a de recuar e desmentir as histórias do capitão e de sua prole.

Se o presidente ficar adulterando fatos, desmentindo e fraudando todo tipo de informação, daqui a pouco ninguém mais vai acreditar nas suas declarações.

Não é segredo para ninguém que o presidente tem feito tudo o que pode para dar boas notícias a nação; mas as notícias das últimas semanas não são exatamente boas:

Não durou nem 24 horas o fim do programa social pós-pandemia, Renda Brasil, decretado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Recuando da decisão que tomou ontem, Bolsonaro chamou o secretário especial Fabio Wajngarten e foi logo dizendo: chama o Paulo Guedes aqui, vamos tocar o “Renda-se Brasil”.

- Renda Brasil, presidente!

- Ou isso!!

- Mas presidente, ontem o senhor deu cartão vermelho para o programa. Inclusive proibiu de se falar no programa durante o seu governo. 

- No tocante a esse problema, olhando o VAR, vi que não era pra cartão vermelho. Vamos tocar o programa...-

-  Presidente, o Paulo Guedes vai congelar aposentadorias, cortar benefícios sociais de idosos e deficientes pobres para financiar o Renda Brasil.

- Companheiro, o negócio é o seguinte: o Corona Vaucher aumentou a minha popularidade. Antes, eu falava para 20 pessoas no cercadinho. Hoje, já são mais de 50. Eu já vi que esse negócio do populismo do Lula, funciona.

O secretário percebeu  que o presidente estava deixando a barba crescer e que havia uma garrafa de cachaça em sua mesa, mas não comentou nada.

- Presidente, os seus opositores estão dizendo que o seu governo está se transformando num PT de direita. O seu governo que criticava a corrupção, as obras e os programas assistenciais do PT está indo pelo mesmo caminho.

O seu governo criticou o “Minha Casa Minha Vida”, do Lula e criou o “Casa Verde e Amarela”. Por falar nisso, presidente, o design gráfico que criou a logomarca do programa estava mais sem criatividade que o artista que desenhou a bandeira do Japão. O programa se chama Casa Verde e Amarela , mas na logo a casa é azul. A janela está desproporcional a porta. E outra: casa com chaminé, presidente? As casas vão ser construídas, onde? Na Suíça?

O seu governo criticou a presença do Centrão no governo Lula e hoje o seu governo tem o Centrão como principal aliado.

O seu governo criticou o “Bolsa Família” e agora luta para criar o “Renda Brasil”.

O senhor criticava a postura populista do ex-presidente Lula e hoje o senhor vive no Nordeste, usa chapéu de sertanejo e anda de mula.

O seu governo criticou as obras do governo do PT no Norte e Nordeste e anda entregando as obras do PT, como se fossem suas.

O seu governo foi um dos maiores críticos da corrupção no Partido dos Trabalhadores e o seu está atolado até o pescoço nas rachadinhas.

- O que você quer? Estamos em campanha pela reeleição!

- Reeleição, presidente? O seu governo não está nem na metade!!

- Isso já é outra “cuestão”.

Ediel Ribeiro (RJ)

257 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários