05,Jul
Ciência & Tecnologia

Google agora deleta automaticamente histórico de buscas e do YouTube

Divulgação / Google

Depois do escândalo do Facebook com a Cambridge Analytica e da chegada do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GRPD, na sigla em inglês), todas as gigantes da tecnologia passaram a estar sob os olhos mais atentos das autoridades e dos usuários nos últimos anos. Privacidade e segurança passaram a ser prioridade e, após pagarem multas milionárias, as companhias vêm se ajustando para trazerem mais transparência sobre como elas cuidam de nossos dados. O Google publicou nesta quarta-feira (24) uma funcionalidade que vai de encontro com essa tendência.

A gigante de Mountain View atualizou as configurações da Conta Google, para facilitar o gerenciamento do histórico dos usuários em todo o seu ecossistema. A partir de agora, quem ativar o Histórico de Localização e a Atividade na Web e de apps terá a opção de exclusão automática de suas informações excluída após 18 meses, por definição — ou seja, tudo o que você procurou no buscador do Google e onde esteve serão deletados após esse período. É possível também alterar para diferentes intervalos de tempo. Esse recurso estava disponível anteriormente, mas era preciso selecionar essa alternativa.

Os usuários do YouTube terão a exclusão automática definida para 36 meses por padrão, no caso de contas novas ou de quem ativar o Histórico do YouTube pela primeira vez. Gmail, Google Drive e Google Fotos não terão alterações, uma vez que são ferramentas criadas para armazenar o conteúdo pessoal e não são usadas para fins publicitários.

O Google também lançou uma maneira mais fácil de ativar o Modo Anônimo em dispositivos móveis. Para isso, basta você pressionar por mais tempo o seu avatar da Conta Google no canto superior direito da tela. Essa novidade por enquanto está disponível apenas para iOS, e em breve deve chegar ao Android.

Divulgação / Google

Vale destacar que a companhia já havia anunciado nesta terça-feira (23) uma ferramenta que faz um check-up nas principais credenciais salvas em sua Conta Google. O sistema informa quais senhas foram comprometidas em vazamentos recentes, quais são fracas e as que foram repetidas em mais de um serviço. Como sempre, se as novidades ainda não chegaram para você, basta aguardar, pois a distribuição dessas atualizações costuma ser gradual.

Meio-termo entre segurança e capitalização de dados
A configuração de exclusão automática de 18 meses parece ser a melhor solução para a companhia no equilíbrio entre a monetização dos dados dos usuários e a transparência sobre seu uso. Assim, o Google pode reter informações tempo suficiente para usá-las em seus negócios, especialmente com publicidade, sem a necessidade de manter esse conteúdo permanentemente — que normalmente é a maior razão das críticas e o que facilita uso inadequado ou coleta por hackers.

O Facebook e o Twitter também vêm buscando mais transparência e a Apple é quem mais tem investido na proteção de dados nas últimas temporadas. Sem grandes inovações, segurança e privacidade têm sido o diferencial das atualizações recentes da Maçã. Bem, coincidência ou não, o Google anunciou essas medidas justamente na mesma semana da conferência de desenvolvedores da empresa de Cupertino, a Worldwide Developers Conference (WWDC).

Fonte: Canaltech / Google  

Comentários