15,Jul
Saúde

Ipsemg alerta sobre diagnóstico precoce do glaucoma

Atendimento oftalmológico é oferecido pelo instituto aos beneficiários

Atualmente, o glaucoma atinge mais de 67 milhões de pessoas em todo o mundo (Foto: Divulgação/Ipsemg)

Celebrado hoje 26, o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma tem como objetivo conscientizar a população em geral sobre a importância do diagnóstico precoce desta doença, que é considerada “silenciosa”.

O glaucoma é uma doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual, podendo levar à cegueira. Por ser a maior causa de cegueira evitável e irreversível, os órgãos ligados à saúde e entidades de oftalmologia alertam para o problema e orientam para que as pessoas cuidem da saúde dos olhos. 

De acordo com oftalmologista Túlio Hanas, especialista em tratamento de glaucoma no Instituto de Previdência dos Servidores de Minas Gerais (Ipsemg), embora seja uma doença crônica e que não tem cura, o glaucoma, na maioria dos casos, pode ser controlado com tratamento adequado e contínuo. “É importante que as pessoas procurem o oftalmologista, façam exame adequado a tempo porque a maioria das pessoas, segundo estudos internacionais, não sabem que tem a doença”, observa.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), atualmente, o glaucoma atinge mais de 67 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais 10% são cegas. Em 2020 esse número poderá chegar a 80 milhões.

O Ministério da Saúde (MS) informa que no Brasil, há escassez de informações quanto à prevalência do glaucoma. A maior parte dos estudos é restrita, antiga e mostra prevalência de 2%-3% na população acima de 40 anos, com aumento da prevalência conforme o aumento da idade. O Conselho Brasileiro de Oftalmologia adota a prevalência de 1% na população total.

Sobre os fatores de risco da doença, Hanas destaca que "a pressão intraocular aumentada é o principal, mas outros fatores, como história familiar de glaucoma, miopia, idade, raça negra, trauma ocular, uso indevido de medicamentos contendo corticosteroides e diabetes podem aumentar a chance de o indivíduo desenvolver a doença”, afirma.

Atendimento no Ipsemg

O Instituto oferece atendimento aos seus beneficiários para o tratamento da doença. Nos últimos 12 meses, foram realizados cerca de 180 mil procedimentos, entre exames e cirurgias.

Em Belo Horizonte, o atendimento oftalmológico é prestado aos beneficiários pela rede própria, no Centro de Especialidades Médicas (CEM) e credenciada. No interior, o atendimento é feito pela rede credenciada.

As consultas devem ser agendadas pela Central LigMinas 155 para rede própria ou pelo sistema de agendamento online, acessível em www.ipsemg.mg.gov.br. Na rede credenciada, o agendamento deve ser feito diretamente com o prestador de serviço.

Comentários