Coluna

Sofia desafia polarização

- Athaliba, à margem do balaio de candidatos à presidência do Brasil, surge a Sofia, mulher que desafia a polarização Lula x Bolsonaro, que os oligopólios de comunicação tentam nos enfiar goela adentro. Ela representa a real perspectiva para mudança necessária do país no sentido de construirmos o poder popular rumo ao socialismo. Entre propostas do programa de trabalho está reforma agrária; a revogação da reforma trabalhista; a redução da jornada de trabalho sem perda salarial; o aumento do salário mínimo para mais de R$ 6 mil e a reestatização de empresas privatizadas pelos últimos governos. Expandirá serviços públicos e irá promover concursos para contratar novos servidores. Também propõe gerar empregos e melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores. No dia 2 de outubro vou cravar o nome dela na urna eletrônica, com bom gosto.

sofia manzano
Sofia Manzano, professora e economista, é candidata a presidente pelo PCB, desafiando a polarização lulista x bolsonarista. / Foto :Lucas Martins - 

- Marineth, a Sofia é uma via capaz de quebrar a polarização lulista x bolsonarista?

- Athaliba, o desafio é gigantesco, nesse contexto esdrúxulo que desde a proclamação da República, em 1889, tornou viciada a vida política brasileira. Desse processo eleitoreiro baseado em vaga democracia já surgiu figuras execráveis que travaram o crescimento e desenvolvimento da pátria amada. Neste 2022, ano que baliza o bicentenário da Independência do Brasil, portanto, perpetro votos de plena lucidez aos eleitores e eleitoras para romper de forma esmagadora com o estigma que atravanca a ordem e o progresso do Brasil. Vamos, juntos, construir o poder popular rumo ao socialismo, unidos com a Sofia.

- Afinal, Marineth, quem é essa candidata que ocê apregoa de Norte a Sul, Leste e Oeste?

- Sabe não, Ataliba? Será que ocê é parte da maioria da população vítima das mídias que produz notícias com objetivo exclusivo de proteger e aumentar lucros dos negócios comerciais? A desinformação vai além de fake news nas redes sociais, vindas de notícias falsas divulgadas por veículos de comunicação. Fake news apelam para o emocional do leitor/telespectador, recheadas com viés político e persuadindo incautos, não só pessoas com menor escolaridade. As pessoas com mais estudo também, às vezes, caem nas armadilhas das fake news.

- Sei disso, Marineth. É preciso estar atento às notícias, examinado-as nas entrelinhas para evitar se persuadido, enganado. Mas, conta-me, por favor, quem é a Sofia?

- Athaliba, a Sofia Manzano, paulistana, tem 50 anos. É economista, doutora em História Econômica pela USP. Desde a juventude é militante do PCB - Partido Comunista Brasileiro. Ela, em 2014, foi candidata à vice-presidente do Brasil, concorrendo com Mauro Iasi. Em ato no 1º de maio, Dia do Trabalhador, na Praça Roosevelt, em São Paulo, teve o lançamento da candidatura. Na ocasião, em discurso, falou da importância da candidatura do partido na campanha eleitoral para aprofundar a discussão política com a sociedade na busca de solução dos problemas que afligem a esmagadora maioria da população, o desenvolvimento e a soberania do Brasil.

- Marineth, os jornalões não noticiaram o lançamento da candidatura da Sofia. O eleitorado não a conhece. Ela terá dificuldade de debater as propostas sem a participação da mídia.

- Pois é, Athaliba. Os grandes oligopólios de comunicação alimentam a polarização Lula x Bolsonaro, em detrimento de outra candidatura com real projeto político para o Brasil. O “pum” de um ou do outro, não importa a “fragrância”, vira notícia ou manchete. Desde fevereiro, a Sofia percorre o país, já tendo se apresentado em Minas Gerais, Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul, além de diversas cidades na Bahia, onde reside, atualmente. A campanha da Sofia é literalmente ignorada pelos jornalões e emissoras de rádio e TVs. A difusão das propostas está sendo feita no boca a boca, corpo a corpo. 

- Marineth, a badalação, infelizmente, está concentrada no lulismo e no bolsonarismo. 

- Isso é pernicioso, maléfico, prejudicial à sociedade, Athaliba. A população fica subjugada nesse vício nefasto, sinistro, trágico dessa fantasmagórica polarização. A polaridade das eleições só beneficia o capitalismo selvagem, entre o fascismo e uma conciliação de classes rebaixada. Mas, a Unidade Classista e os demais coletivos do partido têm experiência combativa contra esse perverso sistema eleitoreiro. Dentre em breve a campanha da Sofia vai estar na boca do povo, enfrentando a crise da fome, do desemprego, da miséria, da falta de segurança pública, da destruição do meio ambiente, etc. 

- Marineth, boa sorte à Sofia.

- Grata, Athaliba. Dia 2/10, na urna eletrônica, vou bradar: “Força, ação, aqui é o partidão!”.

Lenin Novaes

145 Posts

Crônicas do Athaliba

LENIN NOVAES jornalista e produtor cultural. É co-autor do livro Cantando para não enlouquecer, biografia da cantora Elza Soares, com José Louzeiro. Criou e promoveu o Concurso Nacional de Poesia para jornalistas, em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade. É um dos coordenadores do Festival de Choro do Rio, realizado pelo Museu da Imagem e do Som - MIS

Comentários