Coluna

A VACINA E O 'CAPETÃO'

Bolsonaro - Reuters
Reuters -  

Você pode chamar o presidente Jair Messias Bolsonaro do que quiser.

De ignorante, burro, idiota, imbecil, retardado, analfabeto, boçal, bronco, estúpido, iletrado, ignaro, ilegível, obscuro, sombrio, onagro, atrasado, inculto, obsoleto, retrógrado, beócio, rude, besta, animal, quadrúpede, tolo, alarve, grosseiro, jalofo, lorpa, desajeitado, peco, tapado, teimoso, chucro, intratavel, desalumiado, escuro, asnático, brutal, bruto, bugre, desaforado, descortês, duro, estólido, inepto, lambão, obtuso, palerma, sandeu, selvagem, toupeira, cavo, incapaz, insensato, incompetente, imperito, impróprio, inapto, inábil, insuficiente, abagualado, bárbaro, labrusco, sáfaro, insciente, inepto, insipiente, imprudente, leigo, alheio, estranho, profano, estulto, fátuo, mentecapto, pateta, toleirão, irrito, vão, oco, chocho, frívolo, fútil, vazio, definhado, enfezado, frustrado, abrutalhado, agreste, áspero, chambão, cavalar, desabrido, difícil, escabroso, fragoso, incivil, inclemente, indelicado, inóspito, roto, ríspido, rombudo, severo, silvestre, tacanho, tosco, covarde, poltrão, safado, baldo, infundado, mentido, nugativo, supervacâneo, curto, bordegão, asinário, bordalengo, calino, indouto, sinistro, arrogante, desinformado, alvar, atoleimado, estúpido, boçal, bronco, animal, disparatado, rude, azêmola, desajeitado, lanzudo, brutal, asselvajado, bestial, protervo, selvagem, truculento, violento, chulo, irracional, javardo, malcriado, desaforado, atrevido, insolente, descortês, inconveniente, indelicado, intratável, cru, cruel, desapiedado, difícil, implacável, penoso, tirano, triste, estólido, estouvado, néscio, abarroado, abrutalhado, achamboado achavascado, bárbaro, chaboqueiro, crasso, desabrido, grosso, labrego, maleducado, reles, rugoso, rústico, soez, tarimbeiro, abestalhado, aluado, babão, bobalhão, bobo, bocó, demente, descerebrado, desequilibrado, desmiolado, lerdaço, paspalhão, pastranho, sendeiro, toupeira, vão, bestialógico, insociável, mal-humorado, ranzinza, soberbo, panema, embotado, escabroso, inclemente, carniceiro, safado, entupido, obducto, boto, agro ou balordo.

Só não pode dizer que ele não é determinado, fixo, delineado, estipulado, precisado, assente, fixado, deliberado, resolvido, decidido.

Como - recentemente - não conseguiu provar que as pessoas que se vacinassem se transformariam em jacarés, o capitão - que não se deu por vencido - voltou a carga. Agora, ele ataca a vacinação infantil. Quer, porque quer, provar que as crianças que se vacinarem podem virar lagartixa.

Ou, pior, morrer de ataque cardíaco.

Na última quinta-feira, Bolsonaro chamou, às pressas, os ministros Marcelo Queiroga (Saúde) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) ao seu gabinete, no Palácio do Planalto. A euforia tomou conta dos dois:

- Será que é outra viagem para Dubai? - quis saber a ministra Damares.

- Não!! Eu acho que como ele vai dar aumento salarial para os Policiais Federais, resolveu dar para os seus ministros, também - disse o ministro da Saúde, esfregando as mãos.

- Chamou, chefe? - perguntou Queiroga.

- Sim, chamei. Quero que vocês dois peguem um avião da FAB (Força Aérea Bolsonarista) e façam uma visita a família da menina de Botucatu, no interior de São Paulo, que teve um ataque cardíaco, depois de tomar a vacina do Dória.

- Foi da Pfizer, presidente!

- É a mesma coisa, isso daí.

- Hoje, presidente? Eu tinha um joguinho de pôquer com umas amigas da igreja - disse Damares.

- Hoje, não, Damares. Agora!

- E o que danado a gente vai fazer lá, capitão? - quis saber Queiroga.

- Vocês vão comprovar que o mau súbito da menina foi causado pela aplicação da vacina, taokey?

- Mas, presidente, uma investigação conduzida pelas autoridades de saúde paulistas, envolvendo mais de dez especialistas, apontou que o episódio não teve nada a ver com a vacina.

- Não interessa a opinião desses caipiras! O médico cardiologista aqui é você. Se foi um problema cardíaco, quem tem que determinar a causa é você. Dá teu jeito, taokey?

- Eu não posso fazer isso, capitão. E o meu juramento de Hipócrates?

- Eu já falei que não conheço esse tal de ‘Hipócrita’...

- É Hipócrates, presidente! Mas, enfim, deixa pra lá… O senhor não acha que as pessoas vão estranhar essa ‘visita’, presidente? Afinal, até hoje nenhuma das mais de 620 mil famílias das vítimas da Covid-19 recebeu sequer um telefonema do Palácio do Planalto. Além disso, nas redes sociais, o senhor está sendo duramente criticado pelo que está sendo visto como mais uma tentativa da militância bolsonarista, de explorar politicamente o episódio, para fazer mais um ataque à vacinação.

- Isso daí já é outra ‘cuestão’. A turma do Lula está querendo se apoderar do nosso monopólio das ‘fake news' nas redes sociais. Vão! Chegando lá você inventa uma história e a Damares jura que é verdade, e pronto. Todo mundo vai acreditar. Pobre acredita em tudo. Não vê que eles acreditam que a gasolina vai baixar!

- A criança tem uma doença congênita chamada síndrome de Wolff-Parkinson-White (WPW), que leva o coração a ter crises de taquicardia, e pode ocasionar até mesmo a morte súbita - disse o ministro.

- Viu! A doença nem brasileira é!! Isso deve ser coisa do Joe Biden, aquele comunista.

Ediel Ribeiro (RJ)

478 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários