19,Feb

Coluna

SANGRIA

Como o mendigo comemora a esmola que amordaça, Resignamo-nos à crueldade dos que estão no comando E seguimos condolentes por caminhos lodosos, Crentes de que a humildade e a persistência nos salvarão, Se não da vida, talvez na morte. A religi&atil...

Nem toda menina quer ser bailarina

Às vezes, ou muitas vezes, quer jogar futebol ou soltar pipas. E nem todos os meninos querem ser alpinistas, alguns querem ser cozinheiros, costureiros ou querem ser, simplesmente, um artista.   Nem todos querem aceitar o futuro provável. As meninas gostariam de poder sair p...

Plágio

Vamos imitar os machistas do mundo, Ignorar seus desejos, Presenteá-los para seduzi-los, Comê-los quando e como quisermos, Estuprá-los caso “mereçam”, Matá-los se atrevidos, Explorá-los se submissos, Empregá-los se assediá...

Os Meus Ninguéns

Os meus ninguéns não são os ninguéns de Eduardo Galeano; Os meus ninguéns, também filhos de ninguéns, pensam que são donos de tudo; Os meus ninguéns vivem a vida explorando alguéns; Os meus ninguéns, pouco são,...

Poemas

Não gosto de poemas de amor, nunca gostei. Poemas devem ferir, excitar, provocar fugas, mudança de página; Poemas devem ser escritos não para serem lidos, ou suportados, até o final, Mas para serem sentidos, admirados ou repudiados, desde o início. Gos...

Brasil

Em Lisarb existe uma máquina de triturar sonhos, Com dentes humanos, Movida por um grande braço de dor. Em seu corpo, vermes holográficos Deslizam contorcendo-se em vórtices  Engolidos por uma grande mola propulsora Que os transforma numa massa uniforme, Mod...