Coluna

MIRAN, UM RAPAZ DE FINO TRAÇO

Rio de Janeiro - A imprensa brasileira é fértil em bons ilustradores. Entre eles, destaca-se o paranaense Oswaldo Miranda, mais conhecido como Miran; um dos artistas mais premiados, nacional e internacionalmente.

Miran, é natural de Paranaguá-PR. Seus trabalhos são marcados pela sofisticação e reconhecidos pela versatilidade em suas composições, ora excêntricas ora de humor sutil baseado no cotidiano comum.

Miran, é cartunista, ilustrador, editor e diretor de arte. É um dos mais destacados designers brasileiros e editor da revista ‘Gráfica’, a mais importante revista brasileira de artes gráficas.

DIVULGAÇÃO - 

No início da década de 80, promoveu a mostra Grafia, exibindo trabalhos de significativos designers estrangeiros ao lado de talentos nacionais. A exposição gerou um catálogo que mais tarde se transformou na Revista Gráfica.

Começou sua carreira ainda nos anos 1970, trabalhando como diretor de arte em ‘O Raposa’, encarte do jornal ‘Diário do Paraná’. Seus trabalhos foram publicados no ‘Pasquim’, ‘Ovelha Negra’, ‘Folhetim’, ‘Zero Hora’, ‘Risco’, ‘Raposa’, ‘Jornal do Brasil', ‘Playboy’ e ‘Pardon’ (Alemanha). 

O artista expôs no Brasil, EUA, Canadá, França, Alemanha e Japão. Os seus trabalhos de artes gráficas fazem parte do acervo de vários museus brasileiros e norte-americanos.

Ganhou mais de 350 prêmios, dos quais a maioria é internacional. É membro fundador do Clube dos Diretores de Arte do Brasil e membro do Type Directors Club of New York (desde 1978) e do Art Directors Club of New York (desde 1975).

Talento, criatividade e currículo internacional invejável levaram o artista a mais de 300 prêmios obtidos no Brasil, incluindo 23 medalhas de ouro e 20 de prata pelo Clube de Criação de São Paulo. Miran já foi editado nas mais conceituadas publicações de artes gráficas do mundo, como ‘Graphis’, ‘Graphis Posters’, ‘Gebrauchsgraphik’ e ‘Modern Publicity’, entre outras.

"Sempre fui tímido e tive dificuldades de me relacionar ao vivo. Entretanto sou um bom correspondente. Pouco a pouco fui enviando meus trabalhos gráficos para os nomes que mais admirava nos Estados Unidos e Europa. As respostas vieram, e com ajuda de um amigo que conhece inglês profundamente mantive a correspondência e, pouco a pouco, os laços se solidificaram" - explica.

Miran passou a ser aceito em fechados clubes de criadores gráficos, como ‘Type Club’, ‘Society of Publication Designers’ e conviver com os melhores trabalhos que recebia de mestres como Milton Glaser, Saul Bass, Herb Lubalin e outros mestres. 

Este é o Miran, um artista de fino traço.

Ediel Ribeiro (RJ)

661 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários