Coluna

ACABOU A ‘CURRUPÇÃO’

Rio de Janeiro - Se tem um órgão do Governo Federal que trabalha - e muito - é o Departamento de Recuos e Desmentidos (DRD).

Ligado à Secretaria de Comunicação - SECOM - o DRD funciona numa salinha nos fundos do Palácio do Planalto, sob o comando do secretário especial Fabio Wajngarten.

Todo mundo sabe que uma das funções mais importantes no governo, hoje em dia, é a de recuar e desmentir as histórias do capitão e de sua prole.

Se o presidente ficar adulterando fatos, desmentindo e fraudando todo tipo de informação, daqui a pouco ninguém mais vai acreditar nas suas declarações.

Não é segredo para ninguém que o presidente tem feito tudo o que pode para dar boas notícias a nação; mas as notícias das últimas semanas não são exatamente boas:

O presidente Jair Bolsonaro tinha acabado de vestir o quimono quando o secretário Fabio Wajngarten bateu na porta do seu escritório, no Palácio do Planalto.

- Vai praticar artes marciais, presidente? - perguntou o secretário.

- Estou treinando para dar uma ‘voadora’ no pescoço de quem praticar corrupção no meu governo.

O secretário deu um risinho sarcástico, por trás da máscara.

- É bom praticar mesmo! Vai precisar.

- O que você está insinuando? No meu governo não tem corrupção!!

dinheiro na cueca
Arte  -  Nani

- Menos, presidente! Menos! A Polícia Federal fez uma busca na casa do seu amigo Chico Rodrigues, durante uma operação nesta quarta-feira, e encontrou entre as nádegas do vice-líder do seu governo no Senado, mais de 30 mil reais que foram desviados do dinheiro público que deveria ser usado para combater a pandemia de Covid-19, em Roraima. Na casa, foram encontrados mais de 100 mil reais.

- Chico? Que Chico? Nunca ouvi falar! Isso não tem nada a ver com o meu governo, talkey?

- O senador de Roraima é vice-líder do seu governo e seu amigo de mais de vinte anos. O senhor chegou a dizer que tinha com ele quase uma ‘união estável’.

- Ah! O Chico? Ele é do meu governo? Sabia, não! Só falta essa ‘imprensa marronzista’ agora querer ligar ele ao meu governo!

O secretário coçou a cabeça, impressionado com o cinismo do presidente.

- Ele é próximo da sua família. Inclusive ele emprega no gabinete dele um primo dos seus filhos…

- Isso é problema dele. No meu governo, não! Zero corrupção no meu governo.

- Além do caso do dinheiro na cueca, presidente, a imprensa está dando grande destaque  ao caso dos seus dois filhos suspeitos de peculato; dos dois líderes do seu governo investigados por corrupção ativa; do ministro condenado por improbidade; dos dois ministros sub judice e cobra explicação do dinheiro que foi depositado na conta da primeira dama pelo Queiroz.

- Vou dar uma ‘voadora’ em quem indicou o senador para vice-líder do meu governo.

- Foi o senhor.

Ediel Ribeiro (RJ)

259 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários