Coluna

O ADEUS A NÉLIDA PIÑON

Rio de Janeiro - A escritora carioca Nélida Piñon morreu neste sábado (17) em Lisboa, aos 85 anos. 

Integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 1989, ela foi a primeira mulher a presidir a entidade.

Descendente de galegos, Nélida Cuíñas Piñon - filha de pais originários da Galícia, na Espanha - nasceu no bairro de Vila Isabel, Rio de Janeiro, no dia 3 de maio de 1937 e se formou em jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. 

Estreou na literatura com o romance “Guia-mapa de Gabriel Arcanjo”, publicado em 1961, que tem como temas o pecado, o perdão e a relação dos mortais com Deus. 

nelida pinon
Divulgação - 

Em 1984, lançou uma de suas obras mais marcantes: “A república dos Sonhos''. No romance, baseado na história de uma família de imigrantes galegos, ela faz reflexões sobre a Galícia, a Espanha e o Brasil. Seus escritos foram traduzidos em mais de 30 países e contemplam romances, contos, ensaios, discursos, crônicas e memórias, que renderam conquistas importantes, entre eles o Prêmio Jabuti, o mais tradicional reconhecimento literário do Brasil. Ela recebeu a honraria na edição de 2005 com o romance “Vozes do Deserto”. 

Nélida Piñon recebeu ao longo de sua carreira mais de 40 condecorações nacionais e internacionais. 

Ainda criança, Nélida já escrevia pequenas histórias. Em 1961, aos 24 anos, estreou na literatura com o romance ‘Guia-mapa de Gabriel Arcanjo’. 

Em 1990 foi eleita para a cadeira n.º 30 da Academia Brasileira de Letras. Em 1996 foi eleita a primeira mulher a presidir a ABL por ocasião do seu primeiro centenário. 

No dia 9 de novembro de 2011, foi inaugurada em Salvador, Bahia, a Biblioteca Nélida Piñon, a primeira biblioteca do Instituto Cervantes que recebeu o nome de um escritor de língua não hispânica. 

Em outubro de 2015 foi inaugurada em Cotobade, Galícia, terra de sua família a Casa de Cultura Nélida Piñon. 

No Rio, Nélida Piñon dá nome a uma biblioteca comunitária na favela Kelson, no Complexo da Maré. 

Adeus, Nélida! 

Ediel Ribeiro (RJ)

661 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários