Coluna

UM GOVERNO COM A BUNDA NA SERINGA

Arte - Nani

Rio de Janeiro - Se tem um órgão do Governo Federal que trabalha - e muito - é o Departamento de Recuos e Desmentidos (DRD).

Ligado à Secretaria de Comunicação - SECOM - o DRD funciona numa salinha nos fundos do Palácio do Planalto, sob o comando do secretário especial Fabio Wajngarten.

Todo mundo sabe que uma das funções mais importantes no governo, hoje em dia, é a de recuar e desmentir as histórias do capitão e de sua prole.

Se o presidente ficar adulterando fatos, desmentindo e fraudando todo tipo de informação, daqui a pouco ninguém mais vai acreditar nas suas declarações.

Não é segredo para ninguém que o presidente tem feito tudo o que pode para dar boas notícias a nação; mas as notícias das últimas semanas não são exatamente boas:

O presidente Jair Bolsonaro tinha acabado de acordar quando o secretário Fabio Wajngarten bateu na porta do seu escritório, no Palácio do Planalto.

- Presidente, as redes sociais estão em polvorosa! Os seus seguidores ficaram muito chateados com a fala do General Eduardo Pazuello. Até o Olavo de Carvalho tá falando cobras e lagartos da notícia divulgada pelo general de que o seu governo vai comprar 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac. 

- Pa-ti-fa-ria!! A culpa é dessa imprensa marromzista!

- O que o senhor vai fazer, presidente?

- Não sei. Vou consultar as redes sociais. Quero saber a opinião dos meus seguidores no tocante a isso daí - disse o presidente, ligando o celular.

- O General Pazuello  declarou, em reunião com governadores, que o governo federal assinou um protocolo de intenções para a compra da vacina produzida pelo Instituto Butantan, e que ela seria o “imunizante brasileiro” na luta contra o vírus - disse o secretário. 

- Desmente o Pazuello. Publica no meu Twitter que eu estou desautorizando qualquer membro do meu governo a falar em compra da vacina chinesa. Eu não vou comprar nada desses chineses comunistas. Não justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem.

- Mas, presidente, o senhor gastou muito mais para produzir a Cloroquina que não serve para nada.

-  Isso daí já é outra “cuestão”.

- Mas, presidente, foi o senhor que autorizou a entrevista do general Pazuello sobre a compra da vacina. Vai pegar muito mal para o seu Ministro da Saúde. O senhor está queimando outro ministro.

- O que você quer que eu faça? Eu que não vou botar a minha “bunda na seringa”. E depois, todo mundo sabe que ele não é médico mesmo. Ele é paraquedista. 

- O senhor não tem medo de perder mais um ministro da saúde?

- Põe a culpa na imprensa, então. Diz que eles distorceram as declarações do ministro. Todo mundo sabe que a imprensa adora publicar mentiras. Eles inventaram até que já houve Ditadura Militar no Brasil.

Ediel Ribeiro (RJ)

273 Posts

Coluna do Ediel

Ediel Ribeiro é carioca. Jornalista, cartunista e escritor. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) do romance "Sonhos são Azuis". É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG). Autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty" publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ) e Editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!". O autor mora atualmente no Rio de Janeiro, entre um bar e outro.

Comentários