22,Nov
Saúde

Cinco maneiras de proteger os filhos contra o vício em drogas

Recentemente, a discussão sobre a legalização das drogas, em especial a maconha, tem ficado mais frequente no Brasil. Mesmo que existam estudos que comprovam a redução do consumo de maconha entre adolescentes nos lugares onde a droga foi legalizada, a preocupação com os jovens ainda é imensa. Afinal, como evitar que a maconha seja uma porta de entrada para drogas mais perigosas?

Infelizmente, mesmo que a maconha para fins medicinais tenha sua legalização rejeitada no país, os jovens ainda não estarão livres dos riscos. Vários outros fatores influenciam no consumo de drogas, principalmente entre os adolescentes. Porém, é possível, sim, minimizar as chances de que os jovens venham a ser usuários de drogas no futuro. E a participação da família é essencial nessa missão.

Por isso, separamos a seguir cinco dicas listadas pelo Relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes que podem ser adotadas por familiares para proteger melhor adolescentes contra o vício em drogas. Saiba quais são elas:

família feliz
Um maior envolvimento de ambos os pais na criação é fundamental. (Foto:Melbia/FreeImages)

MONITORAMENTO DOS PAIS

Para diminuir as chances de que os filhos venham a se envolver com drogas no futuro, um maior envolvimento de ambos os pais na criação é fundamental. Monitorar as atividades do adolescente, saber quem são as pessoas com quem se relaciona, quais são os lugares que frequenta, por exemplo, já é um bom começo. Dessa maneira, é possível conhecer os riscos a que os jovens estão expostos em sua rotina. 

MAIOR INCLUSÃO SOCIAL

Se a sua intenção como pai é que seu filho fique bem longe das drogas e de seus efeitos devastadores, mantê-lo longe de tudo e de todos não é a solução. Ainda que essa superproteção pareça eficaz contra os riscos, a falta de inclusão social do jovem pode aumentar sua curiosidade e levá-lo a buscar novas sensações. Portanto, garantir que ele conviva com diferentes realidades pode ser um bom escudo.

MORAR EM LUGAR SEGURO

Não é segredo algum que jovens que vivem em regiões mais violentas, onde o tráfico de drogas é comum e as operações policiais são frequentes, estão mais expostos ao consumo de drogas em algum momento de suas vidas. Garantir que a criança cresça em um ambiente seguro, portanto, é uma das principais linhas de frente para reduzir as chances de que ela venha ter contato com as drogas do futuro.

UM BOM AMBIENTE ESCOLAR

Nem sempre os pais ou outros familiares podem estar presentes para o jovem, como acontece nas escolas. Mas é possível garantir que ele receba uma boa educação e esteja inserido num bom ambiente escolar, onde influências externas tenham menos impacto negativo. Para isso, é importante escolher muito bem a escola em que a criança será matriculada, levando em consideração a região e reputação da instituição.

DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL

Qualquer uma das dicas anteriores será ineficaz se o jovem não tiver um desenvolvimento emocional que o permita diferenciar o certo do errado. Por isso, incentivar desde cedo atividades que o permitam esse desenvolvimento também é muito importante. Um exemplo de como isso pode ser feito é estimulando a leitura de obras literárias maduras, que discutem temas relevantes para a formação do jovem.

Comentários