12/03/2019 10h48

Desatinado, Bolsonaro replicou acusação falsa sobre jornalista

Compartilhe

Por Lenin Novaes*

Estimados leitores d’O Folha de Minas, creio que a locomotiva que levou Jair Bolsonaro à Presidência da República será o mesmo meio de transporte que o levará ao impeachment. Aviso que não se trata de vontade própria, do meu desejo pessoal, mas da postura dele de desajuizado, inconsequente, imprudente, desatinado, fútil, insensato, etc. e etc. e tal. A semana começou com mais uma espalhafatosa atitude dele, repelida por nota de repúdio da OAB - Ordem dos Advogados do Brasil e da ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, devido ao replique nas redes sociais de acusação falsa sobre a jornalista Constança Rezende, do jornal Estado de São Paulo. A OAB e a ABRAJI classificam o assunto “como novo ataque público à imprensa”.

O caso está escancarado em muitas publicações jornalísticas e sites, onde Jair Bolsonaro compartilhou mensagem da falsa acusação à jornalista objetivando atacar a cobertura do caso que envolve o filho dele, o senador Flávio Bolsonaro, e o seu ex-assessor Fabrício Queiroz. A acusação falsa sobre Constança foi publicada no site Terça Livre, replicada por Bolsonaro depois da divulgação de conversa telefônica na qual ela supostamente teria dito que a apuração do caso Queiroz objetava “arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”. Porém, a gravação da conversa não inclui o trecho mencionado pelo portal e por Jair Bolsonaro.

A nota conjunta das duas instituições ressalta que "grupos que apoiam Bolsonaro difundiram e amplificaram nas redes sociais declarações distorcidas da repórter Constança Rezende para alimentar a narrativa governista de que a imprensa mente quando se refere às investigações sobre as movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro".

Em mensagem pelo Twitter, Bolsonaro afirmou que Constança Rezende “diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o impeachment do presidente” e lembra que Constança é filha do jornalista Chico Otavio, repórter do GLOBO. O presidente conclui: “Querem derrubar o governo com chantagens, desinformações e vazamentos”. O jornal Estado de S.Paulo publicou texto em seu blog de checagem de fake news, com o título “Site bolsonarista distorce entrevista de repórter do Estado e promove desinformação”.

O jornal esclareceu que Constança Rezende não deu entrevista ao jornalista francês citado pelo site Terça Livre. As frases da gravação foram retiradas de uma conversa que ela teve em 23 de janeiro com uma pessoa que se apresentou como Alex Mac Allister, suposto estudante americano interessado em fazer um estudo comparativo entre Donald Trump e Jair Bolsonaro.

O trem que levou Bolsonaro à Presidência da República será o mesmo a levá-lo ao impeachment. Foto: jornal El País (Mauro Pimentel - AFP)
O trem que levou Bolsonaro à Presidência da República será o mesmo a levá-lo ao impeachment. Foto: jornal El País (Mauro Pimentel - AFP)

 

Eis a íntegra da nota de repúdio:

“Na noite de domingo, o presidente Jair Bolsonaro fez um novo ataque público à imprensa, desta vez valendo-se de informações falsas. Isso mostra não apenas descompromisso com a veracidade dos fatos, o que em si já seria grave, mas também o uso de sua posição de poder para tentar intimidar veículos de mídia e jornalistas, uma atitude incompatível com seu discurso de defesa da liberdade de expressão. Quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia, a existência de uma imprensa livre e crítica.

A onda de ataques no domingo começou antes da manifestação do presidente. Grupos que apoiam Bolsonaro difundiram e amplificaram nas redes sociais declarações distorcidas da repórter Constança Rezende, de O Estado de S.Paulo, para alimentar a narrativa governista de que a imprensa mente quando se refere às investigações sobre as movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro. Como é comum nesse tipo de ataque, a família de Constança também virou alvo. O grave nesse episódio é que o próprio presidente instigou esse comportamento, ao citar como indício de suposta conspiração que Constança é filha de um jornalista de O Globo.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se unem neste momento no repúdio a qualquer tentativa de intimidação a jornalistas. Profissionais atacados por fazer seu trabalho terão sempre nosso apoio”.

Qual a opinião de vocês, estimados leitores d’O Folha de Minas?

É permitida a reprodução desde que citada a fonte e não alterado o texto.

Comente esta notícia

SE VOCÊ NÃO TEM FACEBOOK, UTLIZE O FORMULÁRIO ABAIXO PARA COMENTAR.

Nenhum comentário até o momento.

Leia também