09/10/2017 11h52

Biblioteca Pública Estadual abre edital de ocupação de suas galerias e passarela

Voltado a artistas de todo o país, iniciativa contempla seis propostas direcionadas às artes visuais para compor o calendário de exposições de 2018

Compartilhe

Os projetos selecionados ficarão expostos durante 30 dias (Foto: Divulgação)
Os projetos selecionados ficarão expostos durante 30 dias (Foto: Divulgação)

Projetar artistas, apoiar as artes visuais e democratizar o acesso da população à cultura. Essas são algumas das premissas do edital de ocupação das galerias Paulo Campos Guimarães e Passarela Cultural, da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, parte integrante do Circuito Liberdade.

A iniciativa abarca seis propostas a serem selecionadas para dar origem ao calendário de exposições de 2018.

Os projetos devem conter trabalhos ligados às artes visuais, como desenho, escultura, fotografia, gravura, instalação, objeto, pintura e novas mídias. As inscrições, que são gratuitas, já estão abertas e podem ser realizadas até o dia 22 de novembro.

Os interessados podem se inscrever presencialmente na Biblioteca ou enviar toda documentação via Correios. O edital pode ser acessado aqui e a ficha de inscrição neste link. Informações complementares em www.bibliotecapublica.mg.gov.br

Edital

Voltado para artistas de todo o país, o edital é uma forma de ampliar o contato dos leitores com obras de artistas contemporâneos, favorecendo a interação e a interlocução da literatura com as artes visuais.

“Trazer artistas para dentro das galerias da Biblioteca proporciona que o leitor também fique exposto a outras formas de linguagem, possibilitando uma ampliação da experiência em um espaço usualmente destinado à leitura”, aponta o coordenador dos Espaços de Arte da Biblioteca, Ricardo Girundi.

De acordo com a diretora de Extensão e Ação Regionalizada, Gildete Veloso, a ação é uma forma de propiciar a artistas brasileiros a oportunidade de expor durante 30 dias em um ambiente em que circulam aproximadamente 30 mil pessoas mês.

“Nos equipamentos que compõem o Circuito Liberdade nós somos o segundo lugar em termos de audiência. A visibilidade na Biblioteca é muito grande e isso é importante para o artista e para o público que circula dentro dos nossos espaços. Democratizar o acesso à cultura é uma das missões deste edital” avalia Gildete.

É permitida a reprodução desde que citada a fonte e não alterado o texto.

Comente esta notícia

SE VOCÊ NÃO TEM FACEBOOK, UTLIZE O FORMULÁRIO ABAIXO PARA COMENTAR.

Nenhum comentário até o momento.

Leia também