15/02/2016 09h48

Parque Estadual do Sumidouro é boa opção para a prática de escalada em rocha

Parque está aberto para essa atividade de terça a domingo e é o único em Minas que tem a prática da escalada em rocha regulamentada

Compartilhe

Por ABr

 A capacidade é de 40 escaladores por dia (Foto: Cíntia Palhares)
A capacidade é de 40 escaladores por dia (Foto: Cíntia Palhares)

O Parque Estadual do Sumidouro (PESU) é a única Unidade de Conservação (UC) do estado quem tem a prática de escalada em rocha regulamentada por uma portaria (Portaria IEF 173, de 19 de novembro de 2013). Ou seja, os adeptos dessa modalidade podem praticar o esporte de forma legalizada e segura, dentro da área do Parque delimitada para essa prática.

A regulamentação da escalada em rocha era uma reivindicação antiga dos praticantes dessa atividade, que chegou a ser proibida por quase 15 anos, antes do parque ser efetivamente implantado. Dentre as várias ações desenvolvidas pelos técnicos do Instituto Estadual de Florestas (IEF), comunidade escaladora e parceiros, destaca-se a realização, no Parque Estadual do Itacolomi, em Ouro Preto, do seminário sobre o “Uso Público em Unidades de Conservação de Minas Gerais”. O evento teve como foco discutir a harmonia entre os esportes de aventura, como montanhismo e escalada e a preservação ambiental.

Técnicos do IEF, gestores ambientais, membros da Federação de Montanhismo e Escalada de Minas Gerais (Femeng) e da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada (CBME) discutiram as políticas preservacionistas dos parques, apresentando experiências de práticas em outros locais e apontando desafios. Esse evento foi importante para demarcar as posições envolvidas dos interessados e consolidar a regulamentação da atividade no PESU.

Para que o Parque  fosse aberto para a prática desse esporte, foi montado um grupo de trabalho com membros do IEF, da Associação Mineira de Escalada (AME), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e de organizações como o Grupo Bambuí, que trabalha com pesquisas espeleológicas. Foram quase dois anos de trabalho até a definição dos setores, das vias de escaladas e das regras para conciliar o esporte com a preservação e conservação do Parque.

Para o gerente do PESU, Rogério Tavares, a regulamentação da escalada foi um trabalho extremamente rico, em que todos os atores envolvidos buscaram focar as suas ações na construção de regras e procedimentos que favorecessem a prática segura e ordenada da atividade, aliada à conservação dos frágeis e belos ambientes alvos dos praticantes.

“As diretrizes para a prática foram inseridas no plano de manejo da UC, por meio de importantes contribuições da comunidade espeleológica do Estado, já que as vias que possibilitam a prática do esporte estão em um local cheio de cavernas frágeis. A publicação da portaria foi um momento histórico, em que tudo acabou convergindo para a reabertura da escalada e sua regulamentação, depois de muito trabalho coletivo", destaca o gerente.

Escaladas

O parque está aberto para essa atividade de terça a domingo. A entrada para escalada é das 9h às 13h e a saída às 17h. A capacidade é de 40 escaladores por dia. Todos deverão se apresentar na portaria do Parque, onde receberão todas as instruções quanto à prática do esporte e às regras do parque. É imprescindível a apresentação de um documento de identidade com foto.

A analista ambiental do PESU, Cíntia Palhares, conta que a procura dos escaladores tem sido grande. “A média é de cerca de 30 escaladores por dia. Nos finais de semana a cota costuma chegar ao limite”, conclui. Para praticar o esporte é necessário que o visitante tenha familiaridade com o esporte e leve seu próprio equipamento.

Parque Estadual do Sumidouro

O PESU está localizado na região de Lagoa Santa, a cerca de 50 Km de Belo Horizonte. A unidade de conservação foi criada na década de 1980, com o objetivo de preservar o patrimônio cultural e natural existente da região. A vegetação é composta de mata de galeria, cerrado e vegetação rupícola. A flora é formada por espécies como ipê amarelo, ipê roxo, moreira, aroeirinha, jatobá do campo, gabiroba, manjoba, mutamba, faveiro dentre outros.

Rota das Grutas Peter Lund

O PESU também faz parte da Rota das Grutas Peter Lund. Esse roteiro compreende três unidades de conservação de Minas Gerais: o Parque Estadual do Sumidouro, o Monumento Natural Gruta Rei do Mato e o Monumento Natural Peter Lund.

A rota abrange uma das áreas cársticas mais importantes do país, com aproximadamente 36% do total de cavernas cadastradas do Brasil. Suas formações foram descobertas pelo naturalista dinamarquês Peter Wilhelm Lund (1801-1880).

O roteiro envolve cinco municípios mineiros: Belo Horizonte, Sete Lagoas, Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Cordisburgo, além de uma área de influência direta envolvendo mais de 20 outros municípios.

As três Unidades de Conservação têm como principais atrativos para os turistas as mais importantes e visitadas grutas nacionais – Gruta da Lapinha, Gruta de Maquiné e Gruta Rei do Mato. Além disso, o Parque Estadual do Sumidouro abrange 52 cavernas e cerca de 170 sítios arqueológicos históricos e pré-históricos.

A Rota é uma das mais importantes áreas de visitação de cavernas do Brasil, somando mais de 2,4 mil hectares de áreas naturais. A região possui cerca de 50 cavernas e 170 sítios arqueológicos.

Visitação

As visitas acontecem junto aos guias e devem ser agendadas.

Horário de visitação: terça a domingo de 9h às 16h30

Telefones: 3661-8671 / 3661-8165

Mais informações sobre o PESU

http://pesumidouro.blogspot.com.br/

http://www.ief.mg.gov.br/areas-protegidas/215?task=view

É permitida a reprodução desde que citada a fonte e não alterado o texto.

Comente esta notícia

SE VOCÊ NÃO TEM FACEBOOK, UTLIZE O FORMULÁRIO ABAIXO PARA COMENTAR.

Nenhum comentário até o momento.

Leia também